Coluna Entre Aspas 20/01/2022

Academia Divinopolitana de Letras

Ainda repercute no meio cultural e intelectual de Divinópolis a posse dos amigos Weber Tonhá e Patrícia Laudares na Academia Divinopolitana de Letras (ADL). Como no finalzinho do ano deixo alguns textos da coluna já prontos, não havia ainda me manifestado. Em memorável noite na solenidade solenidade de posse, ocorrida em 18 de dezembro, Welber Tonhá ocupou a cadeira de número 9, cujo patrono é o grande escritor João Guimarães Rosa, e Patrícia ocupou a cadeira 37, cuja patrona é a célebre escritora Clarice Lispector! Conheço e aprecio o altíssimo nível do trabalho de ambos e tenho a certeza de que seus nomes enriquecem ainda mais a ADL e toda a comunidade cultural e intelectual da nossa Cidade Divina!

 

Curiosidades - Costumes pelo mundo afora

Na Venezuela, é melhor não ser tão pontual quando receber um convite para um almoço ou jantar. Lá, um convidado que se adianta ou chega na hora marcada é considerado uma pessoa ansiosa e gananciosa. Na Rússia, nunca recuse um copo de vodka. É um gesto rude e imperdoável.

 No Egito, deixar um pouco de comida no prato durante as refeições, mesmo que esteja com muita fome, simboliza abundância, fartura e elogio ao anfitrião. 

No Peru, a expressão que usamos de surpresa, levantar a sobrancelha significa "dinheiro" ou "pague-me". Melhor tomar cuidado com essa expressão facial por lá.

(Fonte: https://www.tudoparaviajar.com/costumes-e-curiosidades-pelo-mundo)

 

Ria... Por favor!!!

Havia dois bêbados no bar. Depois de quase três horas um deles vira e fala:

— Onde você mora?

— Ali, na casa da esquina.

— Pera aí, eu é que moro lá.

— Nada disso. Vamos lá que eu te mostro!

— Tá bom, vamos.

Chegando lá:

— É aqui, que eu moro! — aponta um dos bêbados.

— Pera lá, eu é que moro aqui.

Depois de muita discussão, aparece uma mulher muito brava falando:

— Bonito, hein?! Pai e filho bêbados discutindo no portão uma hora dessa!



 

Metas do bom mineiro para 2022

- Anota seus querê num papilin e pindure adonde ocê pode oiá os escrito todo dia.

- Mesmo teno os objetivo da baixa da égua, corre atrás dêiz, que tem como pegá. Firma o gorpe, que ocê é aroeira, pau pesado!

- Lembra que pra aprumar é priciso trabaiá firme e muito. Num fica remoeno as coisa. Água passada não toca monjolo.

- Cuida bem da famía. Dê sempre mais que o sustento da sustança da boia. É ela que sempre te espera no fim da lida e te deixa forgado.

- Num esquenta a cabeça por besteira e num deixa as coisas te tirar do prumo. Seje homi e pense positivo.

- Num fique borocoxô e nem agoniado com os pobrema. Ês existe pra ser resorvido. É coisa de quem nasceu para ser bruto igual canto de cerca.

- Num é na pressa e de quarqué jeito que se pesca piapara. Pacênça, dedicação, tranquilidade, boa isca e a tráia certa! Esse é o segredo!

- Assunta sobre as besteira que fez no ano passado e joga no mato, na moita de gravatá, os pensamento ruim e larga ês pra lá!

- Murcha as orêia, respira fundo, enche os purmão e grita: VAZA, TREM RUIM!

Se apegue com Deus Nosso Sinhô, apruma os peito e diz bem arto: 

vem ni mim, 2022!

 

Máximas do professor Carlinhos

  • Fração de segundo: é o lapso entre a abertura do semáforo (cor verde) e a “buzinada” dos carros logo atrás.
  • Aquela periguete vestia umas calças apertadas, mas tão apertadas, que parecia estar embalada a vácuo.
  • Conterrâneo, a passeio pelos ISTEITES, com seu inglês mal acabado, oriundo de dicionários (somentemente), numa lanchonete:

  — PLEASE... I WANT ONE GOOD-GOOD BOY.

(Tradução: “Por favor… Eu quero um bom-bom Garoto.)

 

Comentários
×