Coluna Braga 05/05/2022

Divinopolitano em cena

O país se movimentou nesta semana em torno da apresentação de um dos maiores espetáculos pós-pandemia, realizado em Ouro Preto e com a presença no elenco de um divinopolitano ilustre. A ópera “Aleijadinho”, apresentada no Largo de São Francisco de Assis, narra a vida e a obra de Antônio Francisco Lisboa, reconhecido internacionalmente como mestre do Barroco Mineiro. Dividida em três atos, foi composta por Ernani Aguiar, com libreto escrito por André Cardoso. A regência é de Silvio Viegas e a direção cênica de Julianna Santos.

Ópera

A ópera se passa de 1779 a 1814, ano da morte do Aleijadinho, e conta a trajetória desse filho de um arquiteto português com uma mulher escravizada e que, mesmo tendo todo o processo de doença, sua arte se tornou cada dia mais redentora e seu motivo de viver. O espetáculo, apesar de ter todo o embasamento histórico, se deu o direito de uma licença poética. A história contada é marcada pela rejeição dele como filho, pela rejeição da sociedade, por sua deformidade, pelas dificuldades como artista em conviver com as dores e ao mesmo tempo com o belo. A ópera “Aleijadinho” é a 90ª produção operística da Fundação Clóvis Salgado, ampliando sua atuação como uma das principais instituições produtoras de ópera no Brasil. A montagem conta com as participações da Orquestra Sinfônica e do Coral Lírico de Minas Gerais, da Cia. de Dança Palácio das Artes e de solistas convidados. A estreia em Ouro Preto faz parte da programação do Ano da Mineiridade, da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais.

Divinópolis

Em cena, na ópera “Aleijadinho”, o divinopolitano Hélcio Pereira, conhecido como Brasa, que se mudou para Belo Horizonte em 1981. Filho de Vanir Notini Pereira, que teve um cartório aqui na cidade, e de Elisa Rodrigues, iniciou sua vocação no coral Pequenos Rouxinóis de Divinópolis, em 1969, ficando no grupo até 1980. Em Beagá, estudou piano e passou a integrar um dos corais mais respeitados do mundo, o Ars Nova, da UFMG, no qual cantou por 20 anos. Em 1984, entrou para o Coral Lírico de Minas Gerais, aprovado em concurso público, e até hoje participa de todos os concertos líricos/sinfônicos com orquestra e óperas da Fundação Clóvis Salgado.

Aniversário

Maria Ângela Sena Rabelo troca de idade neste mês e, como é uma data “redonda e especial”, ela optou por comemorar durante três dias com familiares e amigos. A maratona das festividades iniciou nesta terça-feira, 3, e reuniu dezenas de amigos da aniversariante em um restaurante da cidade. Depois eu conto!

Digital

Marília Monteiro com novidade no mercado jornalístico: ela passou a assinar coluna social no site Divinews, no qual, semanalmente, conta o que acontece de melhor em Divinópolis e região.

Maio

Lançada na última sexta-feira, 29, a campanha “Maio Amarelo”, realizada pela Secretaria Municipal de Trânsito, Segurança Pública e Mobilidade Urbana (Settrans), junto ao Observatório Nacional de Segurança Viária  (ONSV) com o tema: "Juntos salvamos vidas. Que trânsito queremos para Divinópolis?". O evento também marcou a abertura da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Em Divinópolis, serão realizadas diversas ações de segurança no trânsito.

Desfile

O desfile cívico que marca o aniversário de Divinópolis será retomado após dois anos suspenso por causa da pandemia da covid-19. No site da Prefeitura foi aberto um cadastro para instituições e entidades que queiram participar da programação. Divinópolis vai completar 110 anos de emancipação política no dia 1º de junho.

 

LEGENDAS 

Karla Luísa com Lavínia e Cecília

Os amigos Sávio e Kênia Vasconcelos

Ângela Alvim

Maria Clara e Victoria Figueiredo

Luciana Rodrigues e Luísa Bahia

Siomara Pereira em Paris

O divinopolitano Hélcio Pereira (de preto à direita na foto)

Karla Faria e o filho Alan, com os amigos João Guilherme (filho do apresentador Faustão) e Shynaider Moura no Baile da Vogue, no Rio de Janeiro

Comentários
×