Cleitinho nega ameaça contra Lohanna e alega que teve seu nome usado

Senador eleito afirma que jamais usaria de um golpe tão baixo e que providências estão sendo tomadas

 

Da Redação

A vereadora Lohanna França (PV) deixou a Câmara de Divinópolis logo após seu pronunciamento, na tarde desta terça-feira, 11, para ir até a Polícia Civil (PC), onde registrou um Boletim de Ocorrência após receber uma ameaça de morte. No texto, o usuário xinga a deputada estadual eleita. 

— Já fizemos a lista dos que vão morrer aqui em Minas e, se você recebeu este e-mail, você está na lista. Não adianta chamar a polícia. (...) Faremos vocês conhecerem o verdadeiro terror. Se preparem. — escreve. 

Além do conteúdo preconceituoso e ameaçador, o e-mail chama a atenção pelo remetente "[email protected]" e pela assinatura "Cleitinho Azevedo - Senador eleito por Minas Gerais". 

Ao Agora, o senador eleito, Cleitinho (PSC), negou ser o autor do e-mail e afirmou que seu nome foi usado por “idiota”.

— Em sã consciência, quem vai fazer uma coisa dessa? Eu vou ofender alguém e ainda assinar meu nome? Está nítido, qualquer pessoa inteligente sabe que foi algum vagabundo que fez isso tanto para azucrinar ela quanto para me prejudicar — declarou.

Ofensas

Também foram proferidas ofensas contra o candidato à presidência apoiado pela vereadora, Lula (PT). 

— O covarde usou o nome de outro político para me ameaçar, o senador eleito Cleitinho (que, imagino, não esteja por trás disso), e se referiu aos eleitores do Lula como “animais nordestinos de cabeça chata, nojentos, travecos” e “sub-raça de burros comedores de rapadura com farinha” — comentou Lohanna, que publicou o conteúdo da ameaça na íntegra em suas redes sociais. 

Ela, no entanto, disse que não vai recuar em seus posicionamentos.

— Essa não é a primeira vez que sou ameaçada de morte e sei que não será a última. Pode acontecer algo comigo, com qualquer um dos citados no e-mail ou com alguém que sequer foi citado - sabemos que o clima de ódio que tomou conta da política se volta a várias e vários de nós. As medidas judiciais já foram tomadas, inclusive com acionamento da delegacia de crimes cibernéticos para reconhecer o criminoso — escreveu a vereadora. 

 

Comentários
×