Cavalgada é tradição no desfile de aniversário da cidade

Cavaleiros fecham cortejo e seguem até o Centro Administrativo

Jorge Guimarães

Depois de suspenso por três  anos, o tradicional desfile cívico-militar volta a fazer parte da programação oficial das celebrações de emancipação político/administrativa de Divinópolis. Portanto, hoje, dia 1º de junho, a partir das 9h, diversas autoridades e mais de 100 entidades e órgãos governamentais, com a participação de centenas de pessoas, celebram na avenida os 110 anos da cidade. A novidade desta volta é que não haverá palanque, mas as autoridades ficarão na rua Rio de Janeiro.

 

Desfile

Darão início ao desfile as forças de segurança, de salvamento e de trânsito como Secretaria de Trânsito, Defesa Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Samu, Polícia Civil, Polícia Federal e Tiro de Guerra. Blocos de carnaval, torcidas organizadas, Doutores Palhaços, fanfarras e Escola de Música serão uma atração a mais para quem gosta de festa e alegria. Haverá também a participação de misses que representam tão bem a fama de a cidade de ser terra de mulheres bonitas.

Os projetos sociais, ONGs, movimentos sociais, de voluntariado e comunitários também terão seu espaço. Ainda marcam presença na avenida entidades de classe e sindicatos. Além disso, o desfile contará com diversas entidades ligadas à saúde, escolas municipais, estaduais e particulares.

Encerram o evento ciclistas, esportistas, motociclistas, carros antigos, a tradicional cavalgada tão aguardada pelos espectadores e diversas outras atrações.

 

Tradição

Nada melhor do que fazer uma viagem ao passado, remexendo as memórias de um tempo que ainda continua sendo de felicidade. Reviver um tempo não tão distante, de uma avenida 1º de Junho lotada, com famílias inteiras reunidas para assistir ao desfile de aniversário, é ver um sonho ser realizado. Ambulantes vendendo churrasquinho, maçã do amor e algodão doce faziam a festa entre as crianças. Palanque armado na esquina da rua Rio de Janeiro recebia governadores e outras autoridades, mostrando que outrora a cidade tinha poder político para tal. E nos tradicionais desfiles, entre as muitas atrações, as fanfarras e as balizas eram o ponto alto de cada escola. Mas nada era tão esperado e aguardado com ansiedade, principalmente pelas crianças, quanto a tradicional cavalgada.

 

Cavalgada

Apreciada por todos, a tradicional cavalgada sempre fechou com chave de ouro os desfiles de aniversário da cidade. Isso desde os fins dos anos 50 e início dos anos 60, quando José Gontijo da Silva, o conhecido Zé Capitão, começou a desfilar com sua tropa puladeira e já famosa em todo o Brasil.

— Meu pai começou a desfilar com sua tropa no fim dos anos 50 e princípio dos anos 60 e esteve na avenida, comandando a tropa, até o ano de 1977. A multidão adorava ver a tropa se enfileirar a frente do palanque das autoridades. É marcante para mim, ainda criança, quando, no desfile do cinquentenário de Divinópolis, no ano de 1962, meu pai ganhou, de um grande amigo, o senhor Quinto Alves Tolentino, 12 cavalos pampas. Daí abrimos o desfile com toda a nossa família e alguns amigos, montados nos pampas com a tropa atrás. Imagens para ficar guardadas na memória para sempre — relembra Rosenwald Mourão Gontijo, um dos filhos do Zé Capitão.

Hoje, a cavalgada vai se iniciar na rua Pains e adjacências, onde acontecerá a concentração. O percurso seguirá pela rua Francisco Ferreira Lopes, avenida 1º de Junho, rua Goiás, avenida Paraná e finalizará seu percurso no Centro Administrativo.

 

Barretos

A Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos é um capítulo à parte na caminhada de sucesso e glória na vida de Zé Capitão. Conta a história que, com o sucesso e o reconhecimento em nível nacional de sua "tropa braba e puladeira", Zé Capitão foi convidado a participar de "Os Independentes", grupo de amigos que idealizou a festa do Peão de Boiadeiros de Barretos, e esteve com sua comitiva e seus animais na primeira edição  em Barretos e em muitas outras.  Nesta quarta-feira, quem for à avenida terá a oportunidade de reviver tudo isso. 

 

Comentários
×