Casos de dengue triplicam em 2022

Dados foram comparados a 2021; especialista revela preocupação e explica como se prevenir

Bueno

Os casos de dengue não param de crescer em Divinópolis. De acordo com um levantamento feito pelo Agora com dados da Prefeitura, os registros triplicaram em 2022. O comparativo foi feito com o ano anterior.

Ao todo, foram 298 casos confirmados no ano passado, ou seja, quase um registro contabilizado por dia. Em 2021, para se ter uma ideia, foram 92 casos.

Números

Ainda de acordo com a Prefeitura, 478 notificações foram registradas em 2022, ou seja, cerca de 1,3 registros por dia. O número é 56% maior do que os 306 casos notificados de 2021.

Minas Gerais  já registrou já 697 casos prováveis de dengue nos primeiros nove dias de 2023. Desse total, 100 foram confirmados. Não há mortes  até o momento. 

Bairros

Ainda conforme a Prefeitura, 20 casos suspeitos de dengue foram registrados no bairro Santa Rosa nas últimas quatro semanas, o que acendeu um alerta para a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

— A Vigilância em Saúde ambiental direcionou cinco agentes para vistoriar todos os imóveis do bairro, realizando a eliminação dos focos encontrados e orientando a população a respeito das medidas preventivas para o controle da doença, além da aplicação do fumacê nos quarteirões — explica nota do Executivo.

Cuidados referentes à dengue são de extrema importância para prevenir a proliferação do mosquito Aedes aegypti. 

— Não deixar água parada em garrafas, pratos e locais que causam acúmulo de líquidos, limpar e tampar caixas d’água, colocar areia nos pratinhos de vasos de plantas, entre várias outras medidas, são formas de evitar a reprodução do mosquito e combater a dengue — completa.

Especialista

Supervisor-geral da Vigilância Ambiental, Juliano Cunha deu detalhes sobre a incidência de casos em Divinópolis. Para ele, a situação é preocupante.

— Diante do período chuvoso os agentes de endemias estão encontrando vários focos do mosquito. Em caso de sintomas, procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência — comenta.

Juliano também deu dicas de como se prevenir do mosquito.

— Realizar a vistoria de seu imóvel no mínimo uma vez por semana, eliminando todos os locais com água parada e verificando a situação das calhas, lajes, caixa d'água, bebedouros de animais, vasos e pratos de plantas — acrescenta.

Vacinação

Pesquisadores em nível nacional já pensam em uma vacina contra a dengue. O imunizante  desenvolvido pelo Instituto Butantan obteve 79,6% de eficácia no teste realizado no fim do ano passado. 16 mil pessoas participaram do experimento por dois anos. Nenhum paciente registrou casos graves da doença entre os que receberam o imunizante. 

A fase de estudos começou em 2016. 10 mil voluntários com idade entre 2 e 59 anos receberam o imunizante e outras seis mil pessoas receberam um placebo. A incidência entre os participantes foi avaliada a partir dos 28 dias da imunização. O estudo será encerrado em 2024.

Eficácia

Ainda de acordo com o Butantan, a eficácia do imunizante foi ainda maior entre as pessoas que haviam contraído a doença antes do estudo, chegando a 89,2%. Entre as que nunca tiveram contato com o vírus, a eficácia foi de 73,5%.

A vacina protege contra todos os sorotipos do vírus da dengue. No entanto, no período da pesquisa, apenas os tipos 1 e 2 estavam em circulação no Brasil. Somente três pessoas entre os mais de 10 mil imunizados apresentaram eventos adversos graves até 21 dias após aplicação da vacina. Todas se recuperaram totalmente.



 

Coment√°rios
×