Câmara de Divinópolis confirma realização de concurso público

Processo, que deve ser realizado até o fim do ano, é necessário para suprir demanda causada por aposentadoria e mortes

 

Bruno Bueno

Após seis anos, a Câmara Municipal de Divinópolis (CMD) vai realizar um concurso público. A decisão foi oficializada por meio da portaria nº CM/037, publicada no Diário Oficial dos Municípios Mineiros na manhã de ontem. O último processo seletivo para contratar servidores efetivos aconteceu em 2016.

A portaria, assinada pelo presidente da Casa, vereador Eduardo Print Júnior (PSDB), criou uma comissão especial para preparar o edital do concurso. Por meio dela, os atuais servidores vão estipular a demanda para que seja feito o cálculo de vagas a serem preenchidas. O concurso, que será realizado até o fim de 2022, é necessário para suprir a demanda causada pela aposentadoria e mortes de alguns servidores efetivos.

 

Comissão

A comissão é composta por membros da Controladoria Interna e da Procuradoria Geral. 

O presidente da seção é Marco Antônio Pinto da Silva; Ana Bárbara Valentim Silva foi nomeada como secretária; Heloísa Aparecida Carvalho Ferreira e Vander Lúcio Gomes Penha são os outros membros da pasta.

— Fica alterada a comissão para preparar o edital de concurso público e levantamento das carências de cargos na Câmara Municipal de Divinópolis — diz o artigo 1º da portaria.

 

Motivos

O secretário-geral e servidor efetivo, Flávio Ramos, também confirmou a realização do concurso. Segundo ele, a demanda gerada pelos servidores efetivos que vão se aposentar nos próximos meses é a principal justificativa para a realização do processo seletivo.

— O presidente da Câmara, vereador Eduardo Print Júnior (PSDB), fazendo um planejamento de gestão e prevendo as possíveis vagas que vão surgir por conta de aposentadorias que vão ocorrer nos próximos meses, determinou a instituição de uma comissão interna que começa a preparar e organizar o concurso que deve ser realizado no final do ano — relatou.

De acordo com Flávio, alguns servidores que vão se aposentar fizeram parte do primeiro concurso público realizado na Câmara Municipal.

 — O concurso público serve para repor as vagas que podem ocorrer em virtude de várias situações. (...) O primeiro concurso da Câmara, realizado pelo Poder Legislativo, já apresenta vencimento de vários servidores que já estão cumprindo seus últimos meses de trabalho, estando próximos da aposentadoria — ressaltou.

 

Morte

Além das iminentes aposentadorias, o secretário aponta que alguns servidores efetivos morreram nos últimos meses, o que também provoca a necessidade de um concurso público.

— Nós tivemos a situação do falecimento de um servidor efetivo, vitimado pela covid, que também precisa ser reposto internamente para que o setor da Câmara continue tendo o suporte daqueles que dão continuidade ao trabalho. O servidor efetivo tem sua estabilidade e pode permitir uma boa continuidade — esclareceu.

Por fim, Flávio esclareceu que a comissão designada já está realizando o levantamento para estipular o número de vagas no processo seletivo.

— A comissão já realizou sua primeira reunião e já enviou um ofício para os setores internos solicitando que cada segmento determine a demanda que pode surgir dentro da necessidade de trabalho de cada setor, para que a gente possa fazer uma avaliação e cruzar com as informações que já temos sobre servidores que estão se aposentando — afirmou.

 

Prazos

Após o levantamento, a Câmara vai contratar uma empresa especializada para realizar o edital e, por consequência, o concurso público. O número de vagas, bem como a data dos próximos prazos, ainda é incerto. 

O Agora acompanha o processo seletivo e traz todos os detalhes na versão impressa e nas plataformas digitais.

 

Comentários
×