Busque o que te faz crescer

MAIS QUE PALAVRAS

BUSQUE O QUE TE FAZ CRESCER

Olá! Como vai? Todos nós vivemos momentos em que conflitos seríssimos acontecem dentro de nós. Nossa mente é um verdadeiro campo de batalha. E, muitas, não poucas vezes, guerras emocionais intensas são travadas dentro de cada um. São conflitos reais. Embora não tenhamos a consciência deles (na maioria das vezes). E aqui vivemos um momento muito especial. Tais batalhas interiores podem se transformar em lições que transformam nossas vidas. Como disse: todos nós vivemos conflitos seríssimos.

Penso que dentro de nós existem duas feras, igualmente fortes. Uma que é a fera da autodestruição. Aquela que não acredita em mim. É a fera do coitadismo, do pessimismo, da autocomiseração. Essa fera busca uma forma de aquietar-se. A outra fera que habita em mim é aquela que me vê como vitorioso e capaz. Ela acredita em mim. Ela é positiva e resiliente. Todos os dias, tenho que tomar uma decisão: qual dessas duas feras irei alimentar? Na medida que faço essa escolha diariamente, fortaleço uma só das feras que habitam em mim, tornando a outra fera frágil e debilitada. Incapaz de reagir. Porém essas feras não morrem. Apenas se enfraquecem. Se, em algum momento, decido direcionar o alimento à outra fera, posso mudar a sorte. A pergunta a ser feita nesse momento é: qual dessas feras tenho decidido alimentar? Porque, alimentando por muito tempo a uma, faço esta prevalecer e a outra se arruinar. Então, de certa forma, sou eu mesmo o responsável pelo sentimento que prevalece em minha mente. Uma vez que fiz minha escolha.

Uma batalha diária. Duas feras igualmente poderosas, mas antagônicas. Uma escolha pessoal. Isso é real. Isso é pessoal e íntimo. Embora pessoal e íntimo, são as minhas decisões as responsáveis. Não sou um resultado do acaso e do destino. Sou protagonista de minha história de vida e potencialmente capaz de mudar o rumo da minha própria vida.

Sabe onde vejo isso? Na pessoa de Jesus Cristo de Nazaré. O grande mestre da vida. Ele mesmo, na condição de homem, viveu essa verdade. No lugar de suas orações, no monte do Getsêmani, ele transpirou sangue, tamanha foi a sua luta interior. Naquele momento Jesus teve que tomar uma decisão: ou alimentava a fera da angústia e murmuração, e assumia a postura de não prosseguir. Ou enfrentar seus medos, alimentar a fera da resiliência e prosseguir. Bem, você conhece a história. Talvez não tenha analisado por esse ponto de vista.

Um detalhe em tudo isso que ilustrei em minha narrativa é relevante. Tais feras interiores parecem estar a maior parte do tempo cobrando seu alimento. A fera negativa busca aquilo que a faz bem, alimentando-se daquilo que a faz bem. Enquanto a outra busca aquilo que a faz crescer. Aqui faço uma inferência importante: não busque o que te faz bem. Busque aquilo que te faz crescer

 

Israel Leocádio  

 

 

Comentários
×