Breno Mourão é condenado pelo assassinato do pai após 11 anos

Da Redação

Um crime que chocou Divinópolis em 2010 teve o seu desfecho em outubro deste ano. Onze anos após mandar matar o pai, o empresário Dinho Mourão, seu filho, Breno Mourão, foi condenado a 16 anos e 10 meses de prisão. O julgamento foi realizado no dia 21 de outubro e, com o salão do júri lotado, a sentença foi lida. 

De um lado, a acusação, que contou com um assistente contratado pela irmã de Dinho, pedia 40 anos de prisão, de outro, a defesa pedia a absolvição do réu, sob a justificativa de que os argumentos apresentados pela promotoria eram sem fundamentos. Apesar da condenação, Breno pode recorrer da sentença em liberdade. 

 

O crime

O empresário foi encontrado morto no dia 12 de agosto de 2010, às margens da MG-050, em seu carro. O corpo de Dinho, que na época tinha 71 anos, apresentava perfurações na cabeça e no peito. As investigações da Polícia Civil (PC) apontaram Breno Mourão como o mandante do assassinato. Segundo a PC, dois jovens teriam sido contratados para matar o empresário. 

Cinco anos após o crime, os dois acusados de serem os executores do crime foram a julgamento e ambos receberam a pena de 14 anos de prisão. Um deles pode recorrer da sentença em liberdade. 

Comentários
×