BH: Família denuncia que bebê morreu após ter 'cabeça arrancada' durante parto em hospital

Da Redação

Uma família denuncia que uma bebê morreu após ter a "cabeça arrancada" durante o parto, no Hospital das Clínicas (HC), na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O caso ocorreu na última segunda-feira (1º), mas só foi denunciado pelos familiares da criança neste domingo (7).

De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (PM) registrado dois dias depois, a mãe da bebê, de 34 anos, foi internada no dia 24 de abril, com 28 semanas de gestação. Em razão de um quadro de pressão arterial alterada, a equipe médica decidiu induzir o parto.

Na madrugada do dia 1º de maio, a mulher entrou em trabalho de parto. Em determinado momento, a obstetra chamou o pai da menina, que acompanhava o procedimento, para observá-la de perto. Ele chegou a ver a filha piscando e mexendo a boca.

Neste instante, um grande tumulto se iniciou no ambiente. Os familiares contaram que a profissional subiu em cima da barriga da mãe para fazer a retirada do corpo rapidamente e logo constataram que a médica havia "arrancado a cabeça da criança".

Ainda conforme o relato da família aos policiais, algumas horas depois, a assistente social da unidade hospitalar apareceu no quarto e disse que o HC arcaria com todos os custos necessários para o sepultamento da bebê.

Além disso, foi solicitado que os pais assinassem um documento dizendo que "a necropsia já havia sido realizada no hospital", que "o corpo da criança já havia sido examinado" e que "o corpo não seria encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML)", da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG).

g1 entrou em contato com a Polícia Civil para saber mais detalhes sobre o caso e aguarda retorno. O Hospital das Clínicas e o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) também foram procurados, mas ainda não responderam aos questionamentos da reportagem.

*Conteúdo: G1 Minas Gerais 

Comentários
×