Beijei, namorei e agora tenho posse?

Karina Andrade

Olá, queridos leitores! Quanta crueldade temos acompanhado nos últimos noticiários, quantos relacionamentos com fins tão trágicos, quantas pessoas não aceitam mais um NÃO, como se fossem propriedades delas... Então, vamos abordar hoje sobre esse assunto que infelizmente tem atingido tantas pessoas.

Ciúmes

1) Identificar o que é ciúme pra você: para cada pessoa tem um significado diferente. Para algumas pessoas, o ciúme é medo de ficar sozinha, para outras é o medo da traição, para outras é o medo de ser ridicularizadas pela sociedade e para outras é o sentimento de posse. Em todas elas, existe, sim, a insegurança; insegurança de não ser bom ou boa o bastante, de que sempre existirá alguém mais bonito, inteligente, legal, com mais aquisição financeira, mais extrovertido, magro, alto, elegante. Enfim, sempre haverá alguém melhor que ele ou do que ela. Daí, o quanto é importante o autoconhecimento. Todos nós temos muitas coisas boas, a gente precisa descobri-las...

2) Aquilo que imagino eu crio pra mim. Certa vez, estava num sinal de trânsito e uma moça atrás de mim buzinou forte. Quando olhei no retrovisor, ela estava gesticulando com a mão. Para mim, ela estava me xingando e do lado a filha dela me olhava com cara ruim, mas olhei e o sinal nem estava aberto.... (Quem disse que aquela mulher estava buzinando pra mim? Quem disse que ela estava me xingando? Quem disse que aquela criança era a filha dela? Quem disse que estava olhando com cara ruim para mim? Quantas vezes imaginamos e assim criamos uma realidade que não existe. Ver seu companheiro(a) olhando para outra pessoa em particular, pode ser só uma criação sua.

3) Olhar de forma errada para o ciúme: muitas vezes, acreditamos que se não permitirmos o outro não vai nos largar. Aí, a gente acaba prendendo a outra pessoa, sufocamos o outro, queremos controlar o que o outro veste, com que ele(a) pode conversar, até onde ele(a) pode ir, como se colocássemos uma coleira no outro, para que ele possa ir só até onde estamos vendo...

Violência no relacionamento

Tudo começa com sentimento de posse, ciúme excessivo, lembra do tópico 2? Tudo que eu vejo eu crio. Pois é, ver o outro como propriedade sua acaba criando essa realidade para você, que como leu acima, não era real... Num relacionamento, duas pessoas estão lá para cuidar, amar, fazer com que o outro seja feliz. Isso vai fazer com que o outro queira ficar com você, pois você está ali pensando na felicidade dele (a), é parceiro(a) é companheira(a) é amigo(a), é leal... isso faz com que as pessoas queiram estar perto de nós, você agredir, ameaçar, xingar, falar palavrões, rebaixar, diminuir a outra pessoa vai só afastá-la cada vez mais de você!

Quanto mais você resiste, mais você persiste (quanto mais você resistir a traição, mais você irá atraí-la, mais ela irá persistir). Se aquela pessoa vai te trair, que te traia de uma vez então, o mais rápido possível, porque é sinal que ela não te merece. Quanto mais rápido for, melhor para que você possa tocar a vida pra frente encontrar alguém que realmente te mereça

A violência não começa espancando. Ela começa com palavrões e xingamentos, onde a pessoa sempre quer ridicularizar, diminuir, inibir o outro. Precisamos ficar atentas a esses comportamentos, divergências sempre existem e como o outro se posiciona quanto a isso? Comece a observar esses detalhes, são esses comportamentos que ganham forças. E, quando a pessoa não coloca limites, chega a agressões físicas.

Nós precisamos expressar nossos sentimentos, desde o princípio, e esse relacionamento está conflitante demais com sinais de ciúmes excessivo, agressões verbais, você precisa rever se vale a pena estar com essa pessoa.

Tanto o agressor quanto a parceira têm baixa estima, não confiam no potencial delas, maioria tem depressão e não está acostumada a ouvir “não” das pessoas. (Por isso é tão importante estarmos atentos na criação e educação de nossos filhos, sempre ensinando respeito e limites.)

Quando a mulher se posiciona desde o princípio, evita agressões físicas e a perda da vida.

Se você conhece alguém que essa coluna possa fazer sentido, compartilhe...

E hoje, às 20h, teremos live no Instagram (@karinaandradementora) para falar mais sobre esse assunto e responder algumas dúvidas.

Abraço... Até a próxima!

 

Karina Andrade

Mentora - coach - palestrante - empresária

(37) 9.9153-0010 

@karinaandradementora

 

Coment√°rios
×