Balança comercial do Centro-Oeste cai 43%

Pablo Santos

 

A balança comercial da região Centro-Oeste de Minas Gerais registrou queda de quase 43% no primeiro quadrimestre do ano. Os dados são da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

 

De acordo com os dados, no ano passado de janeiro a abril, o superávit da balança comercial da região estava em US$ 352 milhões. Neste ano, US$ 201 milhões, representando uma queda de 42,9 milhões.

 

O resultado do superávit é pelo baixo desempenho das exportações da região. As vendas para o exterior caíram 28,3% nos primeiros quatro meses, quando comparado com o mesmo período de 2021.

 

Já as importações na região cresceram 18,7% neste ano, quando se compara com 2021.

 

Os números fazem parte de um estudo da Fiemg e analisou o desempenho de 76 municípios da região Centro-Oeste.

 

O principal item negociado com o exterior é a extração de minerais metálicos, acompanhado da metalurgia, alimentos, produtos de minerais não-metálicos e couro e calçados.

 

Brasil

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 23,30 bilhões no acumulado do ano, até a terceira semana de maio, com uma queda de 6,9% em relação ao período de janeiro a maio do ano passado, pela média diária. A corrente de comércio (soma de exportações e importações) subiu 23,3% na mesma comparação, atingindo US$ 219,58 bilhões. As exportações em 2022 somaram US$ 121,44 bilhões, com aumento de 19,6%, e as importações atingem US$ 98,14 bilhões, com alta de 28,2%.      

                         

O resultado da balança nas três primeiras semanas de maio indica redução de 48,9% no superávit do mês, em relação à média diária de maio de 2021, com US$ 3,11 bilhões. A corrente de comércio aumentou 17,7%, alcançando US$ 36,89 bilhões, refletindo o crescimento de 6,9% das exportações, que somaram US$ 20 bilhões, e de 33,8% das importações, que totalizaram US$ 16,89 bilhões.

Comentários
×