Baixa na Câmara

Baixa na Câmara 

O partido com maior representatividade na Câmara, o Cidadania, três vereadores, perdeu dois de uma só vez. Lohanna França trocou a legenda em que foi eleita com o maior número de votos na história do Legislativo pelo Partido Verde. Outro que também deixou a legenda foi Edsom Sousa. Com isso, a sigla passa a contar com apenas um representante: Josafá Anderson, líder do partido na Casa e seu presidente em Divinópolis. Ruim o desfalque? Depende do ponto de vista. Para o próprio Josafá, não. Ele é pré-candidato a deputado estadual e teria que abrir mão da disputa, visto que nos bastidores é dada como certa a candidatura também de Lohanna. De agora para frente, o objetivo dos dois é o mesmo, porém, em legendas diferentes. 

CDN & PSDB 

Esse é o motivo alegado por Edsom para deixar o Cidadania. O vereador afirma discordar da recente aprovação da federação entre os dois partidos.  Em sua visão, a junção inviabiliza a manutenção dos compromissos que foram assumidos por ele nas eleições de 2020. Ao seu redor, há quem diga que Sousa está namorando o PV. Se, de fato, proceder, significa que ele não sairá candidato a deputado estadual, a não ser que fará dobradinha com Lohanna saindo a federal. O que é pouco provável, fazendo uma análise do atual cenário e atuação dos colegas nestes um ano e pouco de legislatura. Como na política tudo é possível, um futuro próximo dirá.

Mesmo motivo 

A explicação de Edsom para deixar o CDN é a mesma do ex-deputado Fabiano Tolentino, o primeiro a sair  do partido. Ele também não concorda com a federação entre sua ex-sigla e os tucanos, mas, em especial, por um motivo: teria concorrente na sua corrida por cadeira na Câmara Federal. E não está errado. Cada um luta com as armas que tem. Quanto a Lohanna, ela ainda não se manifestou, mas o provável é o que diz o tópico acima: sua intenção de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. Aliás, acredito ser este PB o primeiro a dar a notícia sobre a troca de legenda da vereadora. Como esteve ausente em boa parte da reunião desta terça, justificada, por sinal, pode ser que fale sobre a mudança no encontro de hoje. Aguardemos. 

Mais dois ou três? 

Além de Josafá, Lohanna e talvez Edsom, acredita-se que pelo menos mais três vereadores vão participar das eleições 2022. Eduardo Azevedo (PSC) é dado como certo, informação confirmada por ele próprio em conversas com amigos. Outro que também está na mesma vibe é Diego Espino (PSL). Formará o trio com Eduardo para ALMG, ele Câmara Federal e Cleitinho, por enquanto no Cidadania, mas vai trocar de partido, ao Senado. Por último, Flávio Marra (Patriota) – com sua causa animal, assunto em evidência no país, especialmente, por meio das redes sociais – que também não nega sua vontade de assumir uma cadeira na ALMG. Com exceção de Edsom, todos “marinheiros de primeira viagem”!

Maioria absoluta 

A se confirmar a ida de Edsom para o PV, o partido será soberano na Câmara. Já conta com Rodyson Kristnamurti e Zé Bráz. Agora, Lohanna, somando três, o que já é maioria. Com quatro, então, passa a reinar e talvez seja o maior número até hoje no Legislativo. Por outro lado, caso saiam todos esses nomes citados acima como candidatos, a baixa na casa não vai ser somente nas saídas do CDN, mas no próprio Legislativo durante a campanha eleitoral. Talvez também a maior na história. Como em Divinópolis teve candidato que foi dormir derrotado e acordou presidente da Câmara, essa situação pode estar bem diferente amanhã. 

 

Comentários
×