Autoridades cobram melhorias para renovar concessão da FCA

Utilização da ferrovia para transportar cargas de Divinópolis é um dos pedidos; audiência pública para debater assunto é amanhã na Câmara

 

Bruno Bueno

A renovação da concessão da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) que, por meio da VLI Logística, administra grande parte do sistema ferroviário brasileiro, incluindo Divinópolis, ainda não está confirmada. O contrato, assinado em 1996, tem validade de 30 anos, ou seja, deve ser renovado em 2026. 

Autoridades das principais cidades ferroviárias da região Centro-Oeste, Divinópolis e Carmo do Cajuru, cobram melhorias para apoiar, junto ao Ministério da Infraestrutura e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), órgãos responsáveis pela coordenação do processo, a renovação da concessão. 

Um dos debates sobre o assunto acontece amanhã em audiência pública na Câmara de Divinópolis. O encontro, segundo do ano, é promovido pelo deputado federal Domingos Sávio (PSDB), por meio da Comissão de Viação e Transportes (CVT) da Câmara Federal. O Agora teve acesso com exclusividade a manifesto elaborado pela Prefeitura de Carmo do Cajuru que contém as melhorias requisitadas pelos representantes.

 

‘Só passa por aqui’

De acordo com as autoridades, o principal problema do sistema ferroviário de Divinópolis é que a ferrovia, literalmente, “só passa por aqui”.

— Constatamos, hoje, que a ferrovia não atende devidamente a nossa microrregião do ponto de vista econômico, porque “passa por aqui”, mas não transporta nossas cargas gerais e granéis — afirma em nota.

 

Sendo assim, eles propõem que o Terminal da Ferradura seja utilizado para centrais de armazenamento de grãos, já que a região Centro-Oeste é a maior consumidora do estado. 

— Afinal, a ferrovia que “passa por aqui”  é a nossa maior empresa, mas, por priorizar o transporte ponta-a-ponta, não contribui no que diz respeito à matriz de transportes definida através dos Eixos Estratégicos de Transportes propostos no Plano Mineiro 199. Este é o ponto central do nosso posicionamento — disse.

 

Mais medidas

Outras melhorias foram apontadas como necessárias pelos representantes. A integração dos modais ferroviário, rodoviário e marítimo e a utilização do Corredor Minas-Rio são algumas delas. A implementação de travessias caracterizadas pela construção de viadutos e trincheiras, amortecedores nos trilhos e dispersores de sons também seriam interessantes para isolar a ferrovia da área urbana. A solução, conforme as autoridades, já é usada em outras grandes cidades do país.

As autoridades de Carmo do Cajuru cobram ações específicas para a cidade. A primeira delas seria uma ligação da Siderúrgica Gerdau ao Terminal da Ferradura. Além disso, eles pedem a saída da linha de espera, desativada há anos, que provoca congestionamento, liberação para restauração e uso cultural da Estação Ferroviária da cidade e estudo de viabilidade para amplificação do Pátio da Estação de Amoras.

 

Posicionamentos

Os representantes também solicitaram posicionamentos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e VLI Logística. 

Para a ANTT, foi pedido um relatório sobre as tratativas de regulamentação do chamado “Direito de Passagem” entre as rodovias. Já à VLI foi solicitado um posicionamento sobre os riscos de desativação das oficinas de Divinópolis e do Terminal da Ferradura. Além disso, um relatório sobre o que a empresa pretende fazer nos terrenos adquiridos na região da Ferradura foi requerido.

 

Audiência

A audiência, marcada para amanhã às 10h, terá como principal incentivador o deputado Domingos Sávio (PSDB). Em nota, o político destacou a importância do encontro.

— A participação de lideranças de todos os municípios afetados pelo percurso da ferrovia é muito importante para conseguirmos propor medidas que visem minimizar os efeitos causados pela malha ferroviária, além de prever investimentos para a segurança de motoristas e pedestres, discutir alternativas para criação de modais e a diversificação do transporte de cargas — explicou.

Representantes do ministro de Infraestrutura e da ANTT, órgãos responsáveis pela coordenação do processo de renovação da concessão estarão presentes no evento. Além deles, foram convidados representantes da VLI Logística, do governo estadual e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Gleidson Azevedo (PSC), prefeito de Divinópolis, e Eduardo Print Júnior (PSDB), presidente da Câmara, também devem estar presentes.

A população, mediante agendamento nos telefones (31) 3296-7502 ou (37) 3222-2557, pode participar e, inclusive, fazer questionamentos durante a audiência.

O documento elaborado pela Prefeitura de Cajuru será publicado ou apresentado oficialmente hoje. 

 

Comentários
×