Ao contrário de outros municípios, não faltam vacinas em Divinópolis

Estoque da cidade conta com todos os três imunizantes para segunda dose

 

Matheus Augusto 

Cidades de Minas Gerais voltaram a registrar falta de doses em estoque da vacina AstraZeneca. Divinópolis, no entanto, não encontra-se na lista dos municípios afetados pelo desabastecimento. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) espera normalizar a situação em breve. A cidade deve receber hoje mais vacinas, lote exclusivo de Pfizer. Não foi detalhada a quantidade. 

 

Nova remessa

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) com sede em Divinópolis distribui hoje cerca de 60 mil doses de Pfizer aos 53 municípios da macrorregião Oeste. Segundo a orientação, 41 mil doses são destinadas aos profissionais de saúde, idosos, quase 17 mil para adolescentes e o restante para aplicação da dose de reforço.

—  Até o momento, foram enviadas para a região mais de 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19. A cobertura com primeira já abrange mais de 1 milhão pessoas (91,05%) de 12 anos ou mais.  Com a segunda dose, 755 mil; e dose única, outras 32 mil, o que corresponde a 71,59% da população na faixa etária com esquema vacinal completo. Por sua vez, a dose de reforço já contempla mais  de 60 mil pessoas na macrorregião Oeste — detalhou a SRS.

 

Demanda

Enquanto doses de Pfizer chegam com frequência regular nas últimas semanas, municípios mineiros registram estoques comprometidos de AstraZeneca. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou a situação e acrescentou que o déficit estimado é de 171 mil doses do imunizante. Somente em Belo Horizonte, faltam 18 mil unidades para o encerramento do esquema vacinal. Outras 92 cidades também sofrem com o problema. Divinópolis não está na lista.

A SES informou ter repassado o cenário ao Ministério da Saúde (MS) e espera, em breve, regularizar a situação.

 

Estoque

Em Divinópolis, a situação está estável. Dados desta semana da Semusa apontam que a cidade já recebeu 361 mil doses de vacina contra covid-19: 110.926 CoronaVac (Butantan), 132.595 AstraZeneca (Fiocruz), 111.606 Pfizer e 6.060 Janssen.

 Desse total, foram aplicadas 344.294 doses, sendo: 

  • 182.111 da primeira dose;
  • 145.768 da segunda dose;
  •  e 6.073 doses únicas.

 

No estoque de doses, estão disponíveis 9.375 doses dos imunizantes, nenhum destinado à primeira dose. As vacinas (2,5 mil CoronaVac, 1,5 mil AstraZeneca e 5,1 mil Pfizer) são para a segunda dose.

Não há doses de reforço disponíveis.

 

Taxa

Um dos principais resultados da eficácia da vacinação está nos hospitais. Até ontem, apenas oito pessoas estavam internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Ao todo, a cidade tem 41 leitos exclusivos para atendimento de pacientes com covid-19. 

A porcentagem de ocupação é de 19,51%. O indicador é quase o dobro do registrado nas últimas semanas, quando a Secretaria de Saúde chegou a informar a queda do índice para 8%. O fator, no entanto, não é o aumento de internações, mas, sim, a redução de leitos ‒ desta vez, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que teve os leitos do hospital de campanha desmobilizados no início do mês.

No setor de enfermaria, a taxa é levemente superior, de 32,56%, com 14 leitos ocupados entre os 43 totais do município.

Segundo o relatório da Saúde, no setor de UTI, o Complexo de Saúde tem cinco pacientes internados na área do Sistema Único de Saúde (SUS) e um na área particular; os hospitais Santa Lúcia e Santa Mônica contam com um paciente cada. Não há internações no Hospital São Judas Tadeu. 

 

Comentários
×