Amadorismo

Amadorismo

Do substantivo masculino, amadorismo significa: qualidade ou condição de amador; dedicação, sem caráter profissional, a arte ou ofício; diletantismo, em outras palavras é a falta de técnica adequada para a realização de um trabalho. Esse substantivo pode ser facilmente utilizado para definir a atuação dos políticos brasileiros nos últimos anos. Hoje, sem sombra de dúvidas, o amadorismo toma conta dos Poderes Legislativos e Executivos do Brasil, em qualquer esfera. Diante dessa situação, à população cabe apenas assistir, sem entender o que de fato está acontecendo. É comprovado que depois do “boom” das redes sociais, que aconteceu em meados de 2016, pouco antes das eleições municipais, os governantes muitas vezes preferem a internet, o sensacionalismo, o show, à técnica, a fazer o que é certo, o que manda as leis e até mesmo a trabalhar com responsabilidade. Também, que essa postura adotada pelos políticos têm afetado o povo diretamente e duramente, mesmo que passe quase despercebido. 

Entender a política, seus trâmites, as exigências do poder público é realmente muito cansativo. “Atalhar” o caminho é o que têm preferido os brasileiros. E isso é até justificável, afinal de contas, o povo que é penalizado diariamente com a política do espetáculo é o mesmo que trabalha duro, de sol a sol, para se manter, e manter os engravatados – que deveriam representar a população – em seus gabinetes com ar-condicionado. Realmente, sair de casa cedo, enfrentar transporte público, trânsito, trabalhar oito horas seguidas e ainda entender a política a fundo é exigir um pouco demais. Porém não é porque a maioria dos brasileiros têm uma rotina pesada que os ditos representantes do povo podem fazer o que querem, como querem e quando querem. Ser representante do povo tem suas responsabilidades – e não são poucas. 

Com a internet na moda, um vídeo postado vale mais que uma lei, ou melhor, vale mais que a Constituição Federal. E claro que com isso o amadorismo toma conta dos poderes Brasil afora. Leis inconstitucionais sendo aprovadas sem qualquer tipo de responsabilidade, Legislativo criando despesa para o Executivo – o que é proibido por lei – e ataques entre colegas de parlamentos são apenas alguns dos exemplos que se pode citar para provar que o amadorismo existe e a cada dia ganha mais espaço em lugares onde o respeito e a técnica profissional deveriam estar em primeiro lugar. O que mais estarrece em tudo isso é pensar que quem está pagando a conta de tanta falta de conhecimento e exibicionismo é o povo, que, infelizmente, insiste em sentar, aplaudir, e o pior, se contentar com vídeos sensacionalistas nas redes sociais. 

A sensação que se tem é que a decadência na política brasileira chegou, ficou e não tem sequer previsão de acabar. Mas, é como dizem, “o povo tem o político que merece”. Os eleitos são apenas o reflexo dos eleitores, que continuam a sustentar essa situação, sem qualquer sinal de que uma hora o “gigante” vai acordar mais uma vez.

Comentários
×