Agora, 50 anos

Welber Tonhá 

Um dia na história já é por si capaz de se tornar importante, basta fazer desse dia um dia relevante, um dia marcante, e ele será lembrado. Imagine 50 anos de dias que fizeram a diferença, sim, 50 anos, cinquenta vezes 365 dias. Essa é a história do veículo de informação mais solidificado de Divinópolis, o Jornal Agora

Foram fatos, acontecimentos e notícias de todas as vertentes socioculturais, políticas, esportivas e principalmente históricas, algumas boas e outras não tanto em sua história.

Levar as histórias aos cidadãos é uma tarefa árdua, requer uma preocupação e cuidado com a veracidade, um compromisso com a fidelidade do acontecimento a ser relatado, e em nenhum momento destes 50 anos isso foi esquecido. 

Em 1º  de junho de 1971, em sua edição de  estreia, o Agora já diz logo a que veio: “Hoje inauguramos uma nova fase na vida desta equipe que, há menos de um ano, começou a implantar uma mentalidade que ainda não existia em Divinópolis: Imprensa ‒ esta palavra esquecida nesta terra. Se havia, não possuía o seu verdadeiro sentido. Começamos com muita luta, que ainda continua, conduzindo adiante um ideal de serviço através da boa informação”.

Cobriu eleições, posses e realizações de prefeitos, vereadores e deputados divinopolitanos, viu a cidade se transformar, modernizar e colocar ao chão prédios históricos, salvo uma parte do sobrado na praça Dom Cristiano, que abriga (abrigou) o Museu Histórico por 30 anos, o qual também teve sua intervenção popular para impedir sua demolição registrada nas páginas deste Jornal,  em seguida da feliz reforma e inauguração ao abandono que hoje se encontra. A chegada da Universidade Federal e a transformação em Uemg da Funedi, assim como a instalação do Cefet, Unifenas Pitágoras, Faced, Una e outras universidades, noticiadas muitas vezes em primeira mão. 

Shows e festas tradicionais tiveram seus registros eternizados em colunas e páginas. Inovou com seu camarote da imprensa na Divinaexpo. 

As colunas sociais e culturais, que já tiveram Ivan Silva,  Edson Gonçalves Ferreira e outros, contam hoje com Zélia Brandão, Marco Aurélio Braga, Fernanda Ferreira, Jorge Guimarães e Renata Rachid, para manterem vivas as transformações de uma sociedade atuante, inovadora e ao mesmo tempo tradicional. 

Porém nem sempre as notícias eram felizes. A partida de muitos divinopolitanos chegava ao conhecimento da população pelas linhas redigidas por esta redação. Mesmo quando se torna chocante um acidente, uma tragédia ou um assassinato, era preciso noticiar, e a equipe lá estava.

Liderada desde o início pelo Coronel Faria, depois por Sonia Terra, e hoje na condução da Janiene Faria, a equipe da redatora Gisele Souto noticia e informa sempre com respeito, seriedade e prontidão. Construindo uma história dia a dia. Com respeito ao passado e seus 50 anos de trajetória ininterrupta, porque não se pode esperar, não se deixa para depois, se aconteceu, se é notícia, então,  tem que ser Agora.

[email protected]

Comentários
×