Acredite se puder

ACREDITE SE puder. 

Havia, em nossa cidade, uma imprensa jornalística muito séria e competente, na qual se inseria matéria inaudita beirando o bom humor, chamada “ Acredite se quiser”. Aí desfilavam casos e causos, histórias e estórias, de veras ou verazes, mas sempre com um cunho cauteloso e compromisso com a verdade e nuances. 

 Tal jornal, fiel a seu espírito e cautela que garantiam sua preocupação em sobreviver, mantinha uma seção chamada “Acredite se quiser”, e aí corriam matérias comprometidas com o espírito do jornal, com a verdade dos fatos e suas nuances e limitações. 

Por isso é que me lembrei de tal título hoje, ao publicar notícia igualmente espantosa, e que merecerá, neste jornal Agora, notícia igualmente interessante e espantosa, porém com o título ACREDITE SE PUDER. Lembrei-me dela agora. 

Acreditar, quem pode? Pois é: acredite se puder. Confiram. Analisem: 

Eis que, em plena rua Minas Gerais de Divinópolis, cidadãos mal informados e mal formados fizeram construir ao lado, pregado, junto ao endereço onde residem, um passeio, agora muito bem cercado e embonecado, e assoalhado e encerado, encimado por pequenos canteiros de flores , ali mesmo!!! .!!!.....!!!.....!!!!! Ali, em tão surpreendente espaço, em pleno Centro de Divinópolis, servem saborosos salgadinhos e bebidas, entre boa prosa e papos variados e… e.. Pois é.

Ali, em tão surpreendente espaço, em plena rua M.Gerais, Centro da cidade de Divinópolis, colocam-se mesas com banquetas e cadeiras, e onde rolam assuntos vários entre agradecimento a prefeito e vereadores, tão gentis e generosos, que lhes garantem leis tão gentis. Ê, Divinópolis, cidade do Divino...

Mas... A cidade não agradece, pelo contrário: não pode agradecer que se agridam suas leis aprovadas pelas autoridades eleitas pelo povo para lhes garantirem inclusive qualidade de vida e respeito. 

O que a cidade agradece, isso sim, é respeito à sua cidadania conquistada com muita luta e exemplos edificantes. Não há leis nem justificativas respeitáveis que garantam tal procedimento desrespeitoso beirando a imoralidade e agredindo a cidadania de um povo. 

Divinópolis é uma cidade cidadã onde cidadãos exigem respeito.

A Cidade do Divino não pode virar uma terra de ninguém. 

 Fora, intro_metidos. Ou venham somar conosco, na Terra do Divino. 

E não vilipendiá-la. Salve, salve, terra do Divino Espírito Santo. 

 

Comentários
×