Acirrada

Acirrada

Como era esperado, a corrida eleitoral, com a proximidade de datas importantes que começam em março, segue a todo vapor.  Em Divinópolis, a disputa promete ser “a ferro e a fogo”. Somente para a Câmara Federal, devem sair pelo menos cinco candidatos.  Por enquanto, os prováveis são: Domingos Sávio, Fabiano Tolentino, Jaime Martins, Laiz Soares e Sargento Elton. No entanto, conforme fontes, tem pelo menos mais três, que aguardam apenas alguns detalhes. Mais uma vez, comprova-se que não há união e consenso em prol dos interesses da cidade. É cada um pensando no seu próprio umbigo e ego. Infelizmente!

Mudanças 

Dois que confirmaram participação na disputa também já disseram que vão mudar de partido. Jaime Martins flerta com o PSD, seu provável destino. Caso se confirme, o ex-deputado entra no time que apoia o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, ao governo de Minas. O outro é Tolentino.  Com a possibilidade de o Cidadania federar com o PSDB, para ele se torna inviável. Sua intenção era  ir para um partido que necessite de menos votos para ser eleger, entre 40 a 45 mil. E foi o que aconteceu, ela escolheu o PSC de Gleidson Azevedo, seu algoz na disputa pela Prefeitura. Decisão acertada, principalmente pelo fato de ele estar sem mandato, o que pesa mais na busca por votos.  Como tem muita água ainda para se passar debaixo da ponte, muitas novidades devem surgir. O que se espera é que alguns tenham consciência, menos necessidade de aparecer e não disponibilizem seus nomes apenas para atrapalhar o processo pensando apenas no “eu”. 

Senado

Mas não são somente os candidatos à Câmara Federal e Assembleia Legislativa que prometem movimentar o cenário divinopolitano. Pela primeira vez na história, a cidade deve ter um candidato ao Senado. Trata-se de Cleitinho Azevedo (CDN), partido em que está desde 2016, quando foi eleito vereador. Porém, para cumprir seu desejo, terá que abrir mão dele – visto que o CDN se uniu ao PSDB como dito acima, que, por sua vez, já tem candidato. Ainda não está confirmado, mas a previsão é que Cleitinho se filie ao PL, a legenda do presidente Jair Bolsonaro. Como se pode ver, a situação em Divinópolis começa a ganhar forma e o caminho é esse. Caso haja mudanças, devem ser bem poucas. 

Na fita 

E, se depender de apoio, Cleitinho está no caminho certo. Pelo menos é o que indica sondagem eleitoral feita por F5/EM que coletou opiniões de 1.560 eleitores entre os dias 14 e 17 deste mês. As entrevistas foram feitas por telefone.  Conforme a publicação, o nível de confiança dos resultados obtidos é de 95%, a margem de erro de 2,5%, para mais ou para menos. Na estatística, Cleitinho aparece em primeiro lugar com 10,3% da preferência do eleitorado. Em segundo está Reginaldo Lopes do PT com 8,3% e, em terceiro, aparece Marcelo  Álvares  Antônio, ex-ministro da Cultura do governo Bolsonaro com 3,2%. Abaixo deles ainda há seis nomes, como Carlos Melles, mas que pontuaram bem menos. O número de indecisos é bem alto, 39,8%, o que é normal, pois ainda é cedo. Mas só de Cleitinho já ter saído na frente, desbancando nomes conhecidos e experientes, já é um bom começo. E, sem dúvida, uma injeção enorme de ânimo. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) sob o número MG-08290/2022.

Está chegando

Março bate às portas e com ele, o início das datas do calendário eleitoral. Do dia 3 a 1º de abril, ocorre a janela partidária – período em que os candidatos podem mudar de partido sem perder os cargos que já ocupam. Será nesse prazo que Cleitinho e os demais candidatos por Divinópolis vão decidir seus destinos. Daqui até lá, muita expectativa, negociações e decisões para lá de importantes. Aguardemos. 

Acirrada

Como era esperado, a corrida eleitoral, com a proximidade de datas importantes que começam em março, segue a todo vapor.  Em Divinópolis, a disputa promete ser “a ferro e a fogo”. Somente para a Câmara Federal, devem sair pelo menos cinco candidatos.  Por enquanto, os prováveis são: Domingos Sávio, Fabiano Tolentino, Jaime Martins, Laiz Soares e Sargento Elton. No entanto, conforme fontes, tem pelo menos mais três, que aguardam apenas alguns detalhes. Mais uma vez, comprova-se que não há união e consenso em prol dos interesses da cidade. É cada um pensando no seu próprio umbigo e ego. Infelizmente!

Mudanças 

Dois que confirmaram participação na disputa também já disseram que vão mudar de partido. Jaime Martins flerta com o PSD, seu provável destino. Caso se confirme, o ex-deputado entra no time que apoia o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, ao governo de Minas. O outro é Tolentino.  Com a possibilidade de o Cidadania federar com o PSDB, para ele se torna inviável. Sua intenção era  ir para um partido que necessite de menos votos para ser eleger, entre 40 a 45 mil. E foi o que aconteceu, ela escolheu o PSC de Gleidson Azevedo, seu algoz na disputa pela Prefeitura. Decisão acertada, principalmente pelo fato de ele estar sem mandato, o que pesa mais na busca por votos.  Como tem muita água ainda para se passar debaixo da ponte, muitas novidades devem surgir. O que se espera é que alguns tenham consciência, menos necessidade de aparecer e não disponibilizem seus nomes apenas para atrapalhar o processo pensando apenas no “eu”. 

Senado

Mas não são somente os candidatos à Câmara Federal e Assembleia Legislativa que prometem movimentar o cenário divinopolitano. Pela primeira vez na história, a cidade deve ter um candidato ao Senado. Trata-se de Cleitinho Azevedo (CDN), partido em que está desde 2016, quando foi eleito vereador. Porém, para cumprir seu desejo, terá que abrir mão dele – visto que o CDN se uniu ao PSDB como dito acima, que, por sua vez, já tem candidato. Ainda não está confirmado, mas a previsão é que Cleitinho se filie ao PL, a legenda do presidente Jair Bolsonaro. Como se pode ver, a situação em Divinópolis começa a ganhar forma e o caminho é esse. Caso haja mudanças, devem ser bem poucas. 

Na fita 

E, se depender de apoio, Cleitinho está no caminho certo. Pelo menos é o que indica sondagem eleitoral feita por F5/EM que coletou opiniões de 1.560 eleitores entre os dias 14 e 17 deste mês. As entrevistas foram feitas por telefone.  Conforme a publicação, o nível de confiança dos resultados obtidos é de 95%, a margem de erro de 2,5%, para mais ou para menos. Na estatística, Cleitinho aparece em primeiro lugar com 10,3% da preferência do eleitorado. Em segundo está Reginaldo Lopes do PT com 8,3% e, em terceiro, aparece Marcelo  Álvares  Antônio, ex-ministro da Cultura do governo Bolsonaro com 3,2%. Abaixo deles ainda há seis nomes, como Carlos Melles, mas que pontuaram bem menos. O número de indecisos é bem alto, 39,8%, o que é normal, pois ainda é cedo. Mas só de Cleitinho já ter saído na frente, desbancando nomes conhecidos e experientes, já é um bom começo. E, sem dúvida, uma injeção enorme de ânimo. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) sob o número MG-08290/2022.

Está chegando

Março bate às portas e com ele, o início das datas do calendário eleitoral. Do dia 3 a 1º de abril, ocorre a janela partidária – período em que os candidatos podem mudar de partido sem perder os cargos que já ocupam. Será nesse prazo que Cleitinho e os demais candidatos por Divinópolis vão decidir seus destinos. Daqui até lá, muita expectativa, negociações e decisões para lá de importantes. Aguardemos. 

Comentários
×