A todo vapor

A todo vapor 

 

2022 mal começou e as notícias falsas estão a todo vapor. No último fim de semana, as redes sociais foram tomadas pela notícia de que a fábrica da Heineken seria instalada em Santo Antônio do Monte, porém, a informação não passava de mais uma “fake news”. Por mais que a realidade do mundo esteja 100% ligada ao digital, ainda não é possível entender os motivos que levam uma pessoa a criar uma notícia falsa, e outras a compartilharem, sem ao menos se darem ao trabalho de pesquisar se aquilo é verdadeiro ou não. Ainda não é possível se acostumar a esta nova realidade sem ao menos perguntar: onde isso levará a humanidade? Esse questionamento deve ser feito, pois ainda não se sabe o estrago que uma notícia falsa pode causar. Ainda não é possível mensurar. 

E assim, ano após ano, a sociedade não se molda. Sem qualquer preparo para lidar com a era digital. Fazendo estragos como se não houvesse o amanhã. É triste, é desolador constatar que a humanidade perdeu a vergonha de ser burra e se pauta muitas vezes na hipocrisia, pois é impossível dizer que uma pessoa que cria ou compartilha uma notícia falsa é um ser humano que tem empatia, amor a si mesmo e amor ao próximo. Todas essas afirmações são fáceis de provar, basta pegar o caso do apresentador da TV Alterosa Rafael Silva, que teve uma parada cardiorrespiratória enquanto apresentava o jornal. Sem qualquer respeito, responsabilidade, empatia, ou amor ao próximo e à família do jornalista, diversas pessoas se aproveitaram da situação para “lançar” fake news “ao vento”. 

As mesmas pessoas que se autodenominam cristãs, que fazem parte da família tradicional brasileira, foram as que desrespeitaram um ser humano em uma situação de vulnerabilidade, e sem qualquer pudor espalharam fake news “a torto e a direito”, fazendo um desserviço para a sociedade. É justamente esse tipo de situação que leva a afirmar: a humanidade se perdeu. Não existe mais um limite, um senso de coletivo, muito menos de respeito. Infelizmente, a hipocrisia ganha mais espaço a cada dia e se fortalece nesses mesmos que se dizem defensores da moral e dos bons costumes. E assim, de notícia falsa em notícia falsa, a sociedade se molda, se escora, trazendo a cada dia o sentimento de desespero, pois leva – mais uma vez – à pergunta: onde isso vai chegar? 

Ainda não é possível enumerar o quanto as notícias falsas causaram estragos para o mundo, e ainda não é possível prever quanto essa “conta” ficará. Só é possível afirmar que a conta vem. Uma hora ou outra ela chega. Seja pelas escolhas políticas pautadas em notícias falsas, seja pelas atitudes tomadas com base em notícias falsas, pelos julgamentos, pelos compartilhamentos... Uma hora a conta chega. Enquanto isso, mais e mais estragos são feitos todos os dias. E é aí que perguntamos: o povo estava preparado para a era digital? A resposta para essa pergunta já está dada, não é preciso ir muito longe para responder. A única pergunta que não tem resposta é: até quando o povo insistirá nesse comportamento que só traz prejuízo e mantém a humanidade no mesmo lugar?

Comentários
×