A cultura em visitar igrejas mineiras para além da oração

 

Sem dúvida alguma o papel das igrejas é, em si, a evangelização, a reunião de pessoas para comungar sua fé. As igrejas, além de serem locais para reza e oração, ocupam um lugar importante no turismo mineiro. O papel religioso, a arquitetura e a história envolvendo cada uma delas atrai visitantes de todos os lugares. 

Algumas se destacam, sendo um estado rico em belezas naturais e monumentos históricos, não há como pensar em turismo em Minas Gerais sem mencionar suas inúmeras igrejas. Não há cidadezinha que não tenha a sua, confirmando a tradição da colonização através da expansão do catolicismo e a força dessa religião ao longo dos anos – características que encontramos em todo o Brasil, mas que em Minas é muito acentuada. As cidades históricas de Minas, por exemplo, contam com um sem número de igrejas construídas durante o auge do ciclo do ouro (são tantas em algumas cidades, como Ouro Preto e Tiradentes, que há até roteiro turístico somente de igrejas!)

Eu mesmo quando viajo para alguma cidade sempre visito a igreja ou as igrejas da cidade para conhecer e fazer uma oração. 

Começando a falar das igrejas, inicio com  nosso Santuário de Santo Antônio, que possui as pinturas históricas de frei Handag, tombadas pelo patrimônio histórico. 

A Paróquia Santo Antônio, fundada em 30 de dezembro de 1944, está localizada numa região muito privilegiada em Divinópolis, em Minas Gerais, com sua sede fixada no coração da cidade, a paróquia é destaque e referência para o povo divinopolitano e para os visitantes. À frente da paróquia, desde sua fundação, estão os frades da Ordem dos Frades Menores de São Francisco de Assis que fazem presença na cidade desde 1924, quando a região da igreja ainda pertencia a Paróquia Divino Espírito Santo (hoje Catedral de Divinópolis). Daí o nome da paróquia. Crescendo junto com a cidade, a paróquia criou uma identidade muito forte com os habitantes em geral e, por isso, é motivo de visitação de pessoas vindas de outros pontos da cidades para missas, confissões, casamentos e batizados.

 A segunda igreja que destaco fica na linda cidade de São João del Rey. Inaugurada em 1804 e considerada um dos pontos turísticos mais famosos da cidade, a Igreja de São Francisco de Assis foi projetada por Aleijadinho (pelo menos assim se acredita, já que não há documentação oficial) e fica localizada numa praça emoldurada por palmeiras imperiais, dando a ela um aspecto de cartão postal. Por dentro, incríveis detalhes em pedra-sabão no estilo rococó – e sempre há um guia disposto a explicar aos visitantes todos eles.

Nos fundos, como de hábito em igrejas antigas, há um cemitério – a curiosidade no caso desse é que lá está enterrado o ex-presidente Tancredo Neves, nascido naquela cidade dos Campos das Vertentes.

Outra igreja dedicada a São Francisco de Assis também é um dos pontos turísticos mais visitados em sua cidade: Ouro Preto. Considerada por muitos especialistas uma obra-prima da arte colonial brasileira, também tem seu projeto atribuído ao mestre Aleijadinho. Sua construção data de 1794, mas os detalhes internos das pinturas e dos altares só foram finalizados quase 100 anos depois, por volta de 1890.

Fica localizada no coração do centro histórico de Ouro Preto, no Largo do Coimbra, onde acontece uma feira de artesanato em pedra sabão que é marca registrada da cidade e também vale ser conferida.

Continuando, temos a lindíssima Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes. Ponto turístico obrigatório na cidade, a igreja foi erguida em 1710 em frente à Serra de São José e no ponto mais alto da cidade – e temos novamente a (suposta) presença do mestre Aleijadinho nos detalhes da fachada (mais uma vez não há documentação que prove a autoria, apenas estudos atribuindo o estilo ao de Aleijadinho).

Considerada um dos exemplares mais ricos do barroco brasileiro, seu interior é repleto de detalhes – lustres de prata, ouro em abundância, um órgão português de 1788. Do lado de fora, a vista da serra em conjunto com a cidade é sensacional.

A Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte, não tem nada de antiga como as outras, mas também é dedicada a São Francisco de Assis. Junto com o Museu de Arte da Pampulha, o Iate Clube e a Casa do Baile, todos projetados por Oscar Niemeyer, formam o Conjunto Arquitetônico da Pampulha.

Conhecida como um dos cartões postais da cidade, a igreja tem uma silhueta única, com seu teto arredondado (que alude às montanhas de Minas Gerais), fugindo completamente do formato das antigas igrejas da época colonial. Os painéis internos e externos são de Cândido Portinari e o paisagismo do entorno é de Burle Marx, tornando a igreja uma perfeita obra de arte!

Aliás, a obra toda foi considerada tão moderna na época da sua inauguração, em 1943, que a igreja ficou fechada por anos e só foi aberta ao público 16 anos depois.

Eu particularmente escolhi essas igrejas para ilustrar o texto, mas confesso que foi difícil deixar outras muitas fora dessa lista. E você vai à igreja só como turista ou como religioso também. 





Alguns trechos de frases a respeito do tema abordado

Rezar muito 

e ter fé. 

Porque as coisas estão todas

amarradinhas em Deus.

(Guimarães Rosa)

 

O Religioso eu prezo 

Pelo ateu eu rezo

(Welber Tonhá)

 

Vem, para subirmos no telhado e, lá do alto, nosso olhar consiga ultrapassar a torre da igreja para encontrar os horizontes que nunca se vêem, nesta cidade onde estamos presos e livres, soltos e amarrados.

(Caio Fernando Abreu)

 

“A Igreja precisa se opor às 'marés' de modismos e das últimas novidades...".

(Papa Bento XVI)

 

Minas Gerais... Das lindas praças e igrejas de uma cidadezinha do Interior, jardins belíssimos com muito verde cercando uma linda flor.

(Jean Carlos de Andrade)



Continuamos a falar um pouco sobre os prefeitos na história de nossa cidade. Agradeço o acesso a essa pesquisa ao amigo Marcos Crispim do Arquivo Público de Divinópolis.

 

-  35ª. Gestão - DEMETRIUS ARANTES PEREIRA - (01/01/2005 A 31/12/2008). Vice-prefeito:  Antônio Rinaldo Valério

 

Prefeito eleito. Natural de Divinópolis,  filho de Geraldo da Costa Pereira e Maria Estella Meireles Pereira. Empresário e diretor de empresa.

 

Eleito pelo PMDB em 03/10/1996 e empossado em 01/01/1997, com mandato até 31/12/2000.  

Principais realizações: Viabilização de um Campus da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ); melhorou a mobilidade urbana no centro da cidade, com alargamento das calçadas da rua Goiás e avenida 1° de Junho; criação do extinto Camelódromo; Restaurante Popular.

 

Tem pauta sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva 

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

Comentários
×