A cultura do respeito

Respeito deveria ser a primeira lei na Constituição Brasileira, porque é a base de qualquer relação sólida, seja amizade, familiar ou afetiva. Sem respeito, nada se consolida ou se constrói. 

Na relação afetiva, o respeito tem que vir antes do amor e desejo, porque quando o amor ou desejo esfriam, o que pode acontecer são situações possíveis de reversão, mas quando o respeito não existe ou deixa de existir, tudo desmorona 

A palavra ou o conceito respeito tem sua origem no latim ‘respectus’ e indica um sentimento de apreço, consideração, deferência, algo que merece um segundo olhar, uma segunda chance, uma segunda atenção.

O fato de não concordar com uma postura, opinião ou comportamento não necessariamente quer dizer que eu não possa respeitar, pelo contrário, o respeito vai além. Respeitar o diferente não é convencê-lo a aderir ao modelo de comportamento que entendo como correto ou que a mídia ou a opinião pública determinou como certo. Tal forma de respeito na realidade é um sutil autoritarismo, um convencimento de que o diferente tem que ser igual a mim mesmo se eu o afirmo como diferente. Sou eu quem afirmo o outro(a) como diferente e tenho que saber lidar e conviver com isso socialmente.

Conviver não quer dizer concordar, acatar ou seguir o modelo. Conviver com o diferente, respeitando nossas divergências, compreende inclusive em aprender. Ninguém aprende com alguém que é espelho, só com o diferente é possível conhecer e até mesmo refletir sobre si. A comparação gera um mundo de possibilidades, abre um universo de situações novas e inusitadas, boas e ruins também. E essa experiência só gera aprendizado.

Estamos às vésperas de uma eleição importantíssima, e o que mais temos visto de ambos os lados é uma grande ausência de respeito, principalmente para com o diferente, o oposto, o adversário. É isso não é saudável, muitos amigos, familiares e até casais estão se separando por conta da rivalidade política, culminando em uma situação triste, se o respeito existir não tem briga, não tem guerra nem rompimento. A discordância faz parte do cotidiano.

Vamos seguir em paz, discordando às vezes, mas nunca colocando uma amizade, uma relação familiar ou um relacionamento afetivo em ruínas por conta de opiniões diferentes. 

O respeito é uma via de mão dupla, tem que ser praticado e vivenciado. Faça sua parte, que tenhamos um esforço para que milênios de evolução social não sejam perdidos, caso contrário voltaremos à época das cavernas, onde a comunicação era através de grunhidos e violência persuasiva. 

 

  

 

Alguns trechos de frases a respeito do tema:

 

O meu ideal político é a democracia, para que todo o homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado.

(Albert Einstein)

 

O principal conceito

A se enraizar no peito

Para que se dê jeito

No sentimento de despeito

De um sujeito

É o respeito

(Welber Tonhá)

 

Não subestime ninguém. Trate sempre com respeito. A vida é uma dança das cadeiras. Um dia sentado; noutro, de pé.

(Fabrício Carpinejar)

 

Podia ser só amizade, paixão, carinho, admiração, respeito, ternura, tesão. Com tantos sentimentos arrumados cuidadosamente na prateleira de cima, tinha de ser justo amor, meu Deus

(Caio Fernando Abreu)

 

Quando se respeita alguém não queremos forçar a sua alma sem o seu consentimento.

(Simone de Beauvoir)



O auto-respeito é a raiz da disciplina; a noção de dignidade cresce com a habilidade de dizer não a si mesmo.

(Abraham Lincoln)



Honrar o pai e a mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionar-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância.

(Allan Kardec)

 

A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.

(Franz Kafka)

 

Eu acredito no respeito pelas crenças de todas as pessoas, mas gostaria que as crenças de todas as pessoas fossem capazes de respeitar as crenças de todas as pessoas.

(José Saramago)

 

Respeitar as diferenças

começa por aceitar que as pessoas

pensem diferente de você.

(Augusto Branco)





Continuamos a falar um pouco sobre os prefeitos na história de nossa cidade. Agradeço o acesso a essa pesquisa ao amigo Marcos Crispim do Arquivo Público de Divinópolis.

 

20ª. Gestão - Sebastião Gomes Guimarães - (prefeito eleito)

Vices: Jovelino Rabello Costa; José Jaime Soares; Rafael Fernandes dos Santos. - Três vezes prefeito pela UDN. 

 

20ª. Gestão (31/01/1951 a 31/01/1955); 

22ª. Gestão (01/01/1959 a 31/01/1962); 

26ª. Gestão (31/01/1971 a 01/01/1973).

 

Natural de Nova Serrana. Filho de Zacarias Fernandes Guimarães e Maria das Dores Guimarães. Não se casou, não deixou filhos. 

 

Principais realizações: ampliou os serviços de água, esgoto e calçamento; construção da rodoviária na Praça Pedro X. Gontijo; conclusão da construção do Colégio Estadual (São Tomaz de Aquino); abertura de ruas e de bairros; estradas vicinais. Grande notoriedade como médico humanista, exercendo a profissão gratuitamente, beneficiando com muita competência principalmente muitas gerações da classe pobre, inclusive dos municípios vizinhos.  Foi um médico que se mostrou leal seguidor de Hipócrates.

 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva 

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×