A cultura do cuidar

Você já parou para cuidar um pouco de si mesmo hoje?

 

 

Ter um estilo de vida saudável, boa alimentação, exercitar-se e conhecer a si mesmo são alguns dos pilares que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), compõem o conceito de autocuidado. Uma prática e um direito de todo e qualquer ser humano.

O ato de se cuidar não se refere somente ao corpo; cuidar da mente e do coração, sentimentalmente falando, é de suma importância para se viver bem. Para conseguir até mesmo que alguém valorize você, o valor vem primeiro de si para contigo. 

Autocuidado é olhar para si mesmo, para o que faz, pensa e sente. E, a partir daí, adotar posturas e ações que tragam mais bem-estar em todos os sentidos. Cuidar-se é ter responsabilidade e autonomia sobre nossa própria vida.

Quando fazemos escolhas diárias melhores e mais saudáveis (tanto fisicamente quanto mental e emocionalmente), promovemos a nossa qualidade de vida e contribuímos para a nossa saúde como um todo.

Dessa forma, prevenimos desde doenças físicas até distúrbios emocionais, como a ansiedade, o estresse. Melhoramos a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos.

Importante lembrar que isso não significa estar bem 100% do tempo. Não significa não ter problemas e não significa que o autocuidado é uma pílula mágica que, do dia para a noite, resolve tudo. É uma prática que precisa ser frequente e consistente para gerar melhorias.

É claro que o ato de se cuidar o próximo é também importante, falo de pais, filhos, companheiros e amigos. Não falo de ajuda financeira; falo de ligar, dar boa noite, perguntar como passou o dia,  perguntar como está e, se perceber algo, se dispor a ajudar, estar ao lado, ouvir, dar um abraço. Se fazer presente. 

Algumas frases e trechos de poemas sobre o tema:

Para cuidar de si mesmo, use a cabeça. Para cuidar dos outros, use seu coração.

Eleanor Roosevelt)

É preciso observar

Se ao lado ficar

Tem que se dedicar

Pois no ato de amar

Está implícito o cuidar

(Welber Tonhá )

 

Se Deus criou as pessoas para amar e as coisas para cuidar, por que amamos as coisas e usamos as pessoas

(Bob Marley)

 

Cuidar dos interesses dos nossos vizinhos é essencialmente cuidar do nosso próprio futuro.

(Dalai Lama)

 

Perdoa-me, folha seca, 

não posso cuidar de ti.

Vim para amar neste mundo, 

e até do amor me perdi.

(...)

Tu és folha de outono 

voante pelo jardim.

Deixo-te a minha saudade

- a melhor parte de mim.

(Cecília Meireles)

 

Amar é um cuidar que se ganha em se perder.

(Luís de Camões)



Continuamos a falar um pouco sobre os prefeitos na história de nossa cidade. Agradeço o acesso a essa pesquisa ao amigo Marcos Crispim do Arquivo Público de Divinópolis.

 

Eles Conduziram Divinópolis (Cronologia/Biografia)

 

9ª. Gestão - Pedro X. Gontijo - (11/12/1930 A 11/03/1936)

 

Prefeito nomeado e não nomeava vice. Grande idealizador da criação do município de Divinópolis. Interventor, ou nomeado pelo Governador Olegário Maciel, que aboliu a câmara e não nomeava vice. Farmacêutico e formado em Ouro Preto. Natural de Água Limpa (Aguanil), então município de Itapecerica. Filho de Honório da Costa e Francisca Xavier Coelho. Esposa: Maria José Pires. 

Principais realizações: construção do matadouro do município; aprovação da planta da cadastral do bairro Niterói; instalação da Usina de Álcool Motor de Mandioca; criação da comarca de Divinópolis. Seu nome foi dado à praça da Estação (Lei 1189/76) e seu nome foi dado ao conjunto habitacional do bairro Jardim Belvedere.



Tem pauta para sobre a cultura? Envie para

[email protected]

Welber Tonhá e Silva

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira n° 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

Comentários
×