A cultura do abraço

A cultura do abraço

O frio está aí, chega de mansinho e vai congelando nossa madrugada, nossos pés que teimam em escapar do cobertor para pedir que lhe embrulhem novamente. Esquentar o pé com um “cobertor de orelhas” é a melhor sugestão para aquecer o frio.

No entanto, nada aquece mais do que um bom e apertado abraço, daqueles que lavam a alma, que aconchegam e tranquilizam. Com a pandemia, quase não se abraçou, o distanciamento era necessário e, com isso, o abraço foi saindo dos costumes em nosso dia a dia.

O abraço é o primeiro carinho que recebemos de nossa mãe, logo que nascemos. Os abraços ainda ajudam a cultivar a paciência e demonstrar apreço, além de estimular a liberação de dopamina, o hormônio do prazer, e serotonina, o hormônio do bem-estar, amplamente associado ao bom humor.

Um abraço significa carinho, amor, afeto e amizade. Um abraço estabelece uma ligação íntima e saudável entre as pessoas. É bom tanto para quem dá, quanto para quem o recebe.

É um gesto simples, porém, carregado de sentimentos. Desde a infância, as pessoas aprendem a abraçar aqueles que lhe são próximos para transmitir emoções diversas, seja em momentos de alegria, tristeza, saudade ou, simplesmente, quando dá vontade

“Precisamos de quatro abraços por dia para sobreviver. Precisamos de oito abraços por dia para nos manter. Precisamos de 12 abraços por dia para crescer.” Essa frase famosa da psicoterapeuta norte-americana Virginia Satir resume o quanto os abraços são importantes no nosso dia a dia. 

O toque carinhoso de um abraço ajuda a criar uma sensação de segurança, já que nos sentimos totalmente protegidos quando abraçamos alguém que amamos. Além disso, cientistas encontraram evidências de que os abraços ajudam a reduzir nossas preocupações e medos existenciais.

Um abraço ainda pode oferecer conforto a alguém que esteja passando por um momento ou situação difícil na vida. Às vezes não temos ideia do quanto uma pessoa pode estar precisando de um abraço e de como um contato próximo, mesmo que rápido, pode trazer um sorriso e um pouco de luz a um dia triste.

Pratique a cultura do abraço, abrace forte, abrace.






Alguns trechos de frases e poemas sobre o abraço

 

Que a vida ensine que tão

ou mais difícil do que ter razão é saber tê-la.

Que o abraço abrace.

Que o perdão perdoe.

Que tudo vire verbo e verbe.

Verde. Como a esperança.

Pois, do jeito que o mundo vai,

dá vontade de apagar e começar tudo de novo...

 

(Artur da Távola)



“dei um passo,

busquei um enlaço,

encontrei teu abraço”

(Welber Tonhá)

 

Em teu abraço eu abraço o que existe

a areia, o tempo, a árvore da chuva

E tudo vive para que eu viva:

sem ir tão longe posso vê-lo todo:

veio em tua vida todo o vivente.

(Pablo Neruda)

 

Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida. Abraço é confissão.

Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho. Abraço é para atravessar o nosso corpo.

(Fabrício Carpinejar)



Eu quero beijos intermináveis, carinho na nuca, abraço aconchegante, sorrisos sem porquês, eu te amo inesperado, beijos na testa, mãos dadas, dedos entrelaçados, corpos colados, suspiros sem perceber… Eu quero apenas um amor para ser feliz, sorrir de verdade com um motivo.

 

(Caio Fernando Abreu)






Tem pauta para sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva 

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×