A cultura das campanhas sociais

 

Estamos em setembro, e como em alguns outros meses, o mês tem uma cor simbólica de atenção para com alguma campanha social, no caso, o “Setembro Amarelo”, sobre prevenção ao autoextermínio. 

Muitas pessoas compartilham as campanhas nas redes, fazem textos e se mostram muito solidárias, é isso é muito importante.

Ajudar ao próximo é importante, principalmente no tema relativo a esse mês. Ajudar é gratificante. Doar é gratificante. Quanto mais você doa amor para o próximo, mais amor você recebe da vida. Quanto mais você ajuda, compartilha, conecta pessoas, cria e constrói pontes ao seu redor, mais a vida te retornará.

É engraçado como aquela afirmação, “o universo conspira a teu favor” é inabalável! 

Com esse entendimento quase que unânime, porque algumas pessoas muitas vezes negligenciam tanto o cumprimento desse mandamento? Imagino que seja pela falta de conhecimento. Por isso, é tão importante conhecermos sobre este tema. Me recuso a achar que seja por hipocrisia, aqueles que gostam de mostrar em público serem solidários, mas na hora se omitem.

Uma pessoa que busca o autoextermínio, ela dá sinais, deixa migalhas no caminho para que percebamos, como um pedido de socorro silencioso. 

É muito difícil falar deste tema, porque este que vos escreve, já esteve bem perto, sim, bem perto de desistir. E não adianta falarem que “homem não tem depressão”, que “é frescura”, “drama”, “quer chamar a atenção”. Quando a depressão chega, o deprimido em questão não assume, não aceita, não acredita que é. O preconceito vem da própria pessoa (sentir isso). E quando estoura, aí é difícil de controlar, de dominar, e neste caso, as pessoas que estão ao lado são os que podem ajudar, percebendo os sinais. Intervindo quando se achar necessário. 

A realidade é que o preconceito em cima disso é muito grande. Algumas pessoas se afastam, outras criticam, e em alguns casos desafiam duvidando que quem está passando por isso seja capaz. 

Quando vivi isso, recebi apoio de amigos,  familiares, conhecidos e até de desconhecidos, mas também recebi afastamento, rejeição e, principalmente, críticas de quem teoricamente deveria estar ao meu lado.

Expor isso aqui, se fez necessário para que todos fiquem atentos aos sinais de seus amigos e familiares.Hoje, vejo que dei muitos sinais, procrastinando algumas coisas, ficando em casa e mesmo quando  fazia algo era mais reservado. Havia parado de jogar futebol, de ir ao Bloco dos Caveiras, ao clube. Tudo isso foram sinais. Eu estava só, me afastando de tudo e não tinha percebido.

Hoje, superei esse problema e posso falar abertamente sobre isso, graças a ajuda espiritual e terapêutica, todo mundo deveria fazer terapia e se encontrar em sua religião .   

Essa cultura das campanhas sociais tem que funcionar principalmente na prática do seu dia a dia, e não só no seu Instagram. Amanhã pode acontecer com você. Se cuide. Eu estou olhando os sinais dos meus amigos. 



Frases e poemas sobre o tema 



Não se pode ensinar nada a um homem; só é possível ajudá-lo a encontrar a coisa dentro de si.

(Galileu Galilei)



Pratique o cuidar 

Para ser cuidado

Ao invés de criticar

Olhe ao lado

(Welber Tonhá)

 

Amor é a arte de criar algo com a ajuda da capacidade do outro.

(Bertolt Brecht)



Tem cautela;

ajuda o sol

com uma vela

(Millôr Fernandes)

 

E sem nenhuma lembrança

Das outras vezes perdidas,

Atiro a rosa do sonho

Nas tuas mãos distraídas...

(Mario Quintana)

 

Agende-se

E dia 10/09 tem festa no bar da Claudete. Open Bar com Carla Bragança (Rock Nacional e Internacional) R$ 50 até meia noite.



Continuamos a falar um pouco sobre os

prefeitos na história de nossa cidade.

Agradeço o acesso a essa pesquisa ao

amigo Marcos Crispim do Arquivo

Público de Divinópolis.

Eles Conduziram Divinópolis

(Cronologia/Biografia)

 

10ª. Gestão - JOSÉ ANTÔNIO SARAIVA -(12/03/1936 A 19/03/1936)

 

Prefeito nomeado por Benedito Valadares e não nomeava vice. Era engenheiro do Estado e exerceu o cargo de prefeito esporadicamente, substituindo os nomeados em períodos de licenças. 

Principal realização: Foi um dos fundadores da Escola Normal Mário Casassanta e seu primeiro diretor em 1929. 

Veio de Belo Horizonte e não deixou aqui registro biográfico mais detalhado.



 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva 

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

Comentários
×