A capital do vôlei nacional

Batendo Bola

 

José Carlos de Oliveira

 

[email protected]

 

A capital do vôlei nacional

Muitos até tentam desmerecer ou mesmo copiar, mas não tem para ninguém. Não há como superar o estado de Minas Gerais no vôlei, o segundo esporte mais praticado e amado pelos brasileiros. Já há alguns anos, décadas até, que os times mineiros se mantêm no topo do vôlei nacional, ora com uma equipe ora com outra, mas nesta temporada abusaram na disse e mostraram ainda sua força, emplacando todos os finalistas da maior competição do país – as superligas feminina e masculina. Nas duas finais estarão clubes de Minas, com “decisões pão de queijo”, para desespero da grande mídia, que não engole ver as equipes mineiras (seja em que esporte for) se sobressaindo sobre paulistas e cariocas no cenário nacional.

 

Terceira decisão

O Minas Tênis Clube, da capital Belo Horizonte, sempre se manteve no topo do esporte nacional, com o vôlei e o basquete, além da natação, fazendo bonito. Agora, com a companhia do Praia Clube, da cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, promete reinar por um bom tempo sobre os rivais de outros estados. No feminino as duas equipes disputaram todas as finais desta temporada e vão agora para sua terceira decisão seguida de Superliga, entre eles. 

Nas duas primeiras batalhas, as meninas da capital levaram a melhor, mas agora na final que acontece em Brasília, ginásio Nilson Nelson, numa melhor de três jogos, nos dias 22 e 29 de abril e, se necessário, no dia 3 de maio, o time de Uberlândia promete dar o troco e vai com tudo para quebrar a hegemonia das rivais.

O Minas é o atual bicampeão da Superliga e vai em busca do seu quinto título. Já o Praia tenta a sua segunda taça na competição. 

 

Masculino

E na superliga masculina também teremos uma final pão de queijo, ainda sem datas definidas pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), mas desta feita com os jogos nos ginásios dos clubes mineiros. Cada equipe manda um duelo em sua casa, reunindo os times do Sada Cruzeiro e do Minas Tênis Clube.

 

Hegemonia

Maior campeão do vôlei brasileiro, atual campeão mundial, sul-americano e da Copa Brasil, o Sada Cruzeiro se reinventou sob o comando do novato Filipe Ferraz, que largou a quadra para assumir o comando técnico do time, e chega a mais uma decisão de superliga, depois de ficar de fora das duas últimas finais, e vai em busca do hepta.

 

Rival de força

Do outro lado da quadra estará novamente o Minas Tênis Clube, com história e histórico no vôlei brasileiro, e que nesta temporada, comandado pelo mago William Arjona, seu levantador, chega à final depois de ser o melhor em toda a fase de classificação, e – apesar de ter perdido os últimos duelos entre eles – promete ser uma parada torta para o Sada.

Decisão para quem tem coração forte e gosta de um bom voleibol.

 

Comentários
×