A arte da disciplina

A arte da disciplina

Ômar Souki

Li uma frase do palestrante motivacional Jim Rohn que me fez pensar na importância da disciplina: “Todos nós sofremos de uma entre duas dores: a dor da disciplina ou a dor do remorso”. Meus músculos ainda estavam doloridos devido ao meu empenho na academia, isso era a dor da disciplina. Se eu não tivesse feito exercícios físicos não teria a dor da disciplina, mas certamente teria a dor do remorso: “Por que não me exercitei hoje?”— eu estaria me perguntando.

Ao chegar em casa, após a ginástica, vim direto para o computador e comecei a digitar. Queria refletir mais sobre esse conceito tão utilizado e muitas vezes mal compreendido: disciplina. O que vem a ser a disciplina? Definida no Google como “conduta que assegura o bem-estar dos indivíduos ou o bom funcionamento de uma organização”, disciplina em nível pessoal representa mais que isso. Pode-se dizer que é a consciência de que precisamos tomar certas iniciativas ou executar certas ações não importando qual seja o nosso estado de ânimo.

Outro dia, perguntei a Daiane, uma moça que estava se exercitando ao meu lado, se ela estava animada. Ela me disse: “nem sempre estamos animados, mas precisamos vir assim mesmo. Depois a gente se anima”. De fato, isso acontece comigo, nem sempre estou animado a fazer ginástica, mas, não importa qual seja o meu estado de ânimo, vou assim mesmo. Depois de estar lá, ao movimentar-me, automaticamente o meu cérebro começa a produzir endorfina e o ânimo aparece. Saio da academia me sentindo extraordinariamente melhor, muito melhor do que se tivesse ficado em casa mexendo no celular.

A pessoa que deseja ter uma vida saudável e produtiva, em geral, levanta cedo e parte para a ação. Jamais fica na cama até as 10 da manhã, independentemente de ser ou não aposentada. Eu, por exemplo, me desperto às 6, tomo café, e assisto à missa das 7 no Santuário de Santo Antônio, aqui em Divinópolis. A missa termina antes das 8, quando parto direto para a academia e malho até às 9h30. Ninguém me obriga a fazer isso, mas eu me impus essa disciplina logo pela manhã porque, depois, o dia flui com mais facilidade.

Stephen Covey, autor do livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, afirma que as pessoas que obtêm bons resultados em público são justamente aquelas que cultivam vitórias no universo pessoal. Então, procuro seguir essa regra me dedicando à oração e à ginástica antes de iniciar as minhas atividades do dia.

A diferença que realmente faz a diferença em nossa vida é optarmos pela “dor” da disciplina em vez da dor do remorso. Ao escolhermos a disciplina, estamos fazendo uma boa plantação e a colheita será farta. Caso contrário, colheremos a dor do arrependimento, a dor de ter-nos derrotado a nós mesmos.

 

Comentários
×