4ª dose para todos os adultos é "questão de tempo", antecipa governo estadual

Governo federal deve anunciar em breve autorização; atualmente, apenas pessoas acima de 40 podem receber segundo reforço

Quem tem mais de 40 anos já pode tomar a 4ª dose (segundo reforço) contra a covid-19. No entanto, a imunização será, em breve, estendida para todos os adultos com mais de 18 anos. De acordo com o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Fábio Baccheretti, a decisão é “questão de tempo”, pois o Ministério da Saúde já está convencido, mas depende do estoque de imunizantes. 

— A expectativa é que o governo federal anuncie que todo adulto acima de 18 anos terá que tomar a quarta dose. Pelo estoque existente, já foram contempladas pessoas acima de 40 anos. A questão é muito mais de estoque do que de tudo — explicou.

O secretário destacou a importância do reforço. 

— Temos a necessidade de reforçar em curto espaço de tempo não só pela perda da imunidade, mas também pela variante da ômicron. Quando ela chegou, a ômicron teve um chamado escape vacinal muito importante, ou seja, todo mundo que tinha tomado duas doses não tinha uma proteção imunológica da doença muito robusta, a eficácia caiu muito. É como se, neste momento, para esta variante, que é a dominante, estivéssemos reiniciando o ciclo vacinal — justificou.

O secretário de Saúde de Minas Gerais destacou que, apesar de a letalidade da covid-19 ter diminuído com a variante ômicron, a relação da vacinação com a probabilidade de mortes é evidente.

A proporção da população não vacinada em relação a quem tomou pelo menos a primeira dose de reforço (terceira dose da vacina): nós estamos falando em cinco vezes mais chances de essa pessoa ir a óbito. Então, quem não tomou a vacina, a chance de morrer é muito maior do que quem tomou pelo menos a primeira dose de reforço. Em quem não tomou a dose de reforço a proporção é quase três vezes maior. Vale sempre falar isso. Temos que tomar o primeiro reforço e o segundo reforço (quarta dose) que está garantido a partir de 40 anos. A pessoa que não tomou a vacina está correndo um risco de pelo menos cinco vezes a mais de morrer da covid-19. Não tem motivo para não tomar a vacina enfatizou.

Baccheretti ainda destaca que a proporção ainda é maior quando se fala nas chances de ser hospitalizado por causa da doença.

Quem não tomou nenhuma vacina tem uma chance muito maior, cerca de oito vezes maior de se internar por síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Nós temos a principal arma, que é a vacina, e pessoas que insistem em não se vacinar. Quem não tomou pelo menos a primeira dose de reforço tem uma chance três vezes maior de internar. Não achem que tomar apenas duas doses é o suficiente, nós temos que buscar o reforço aconselha Fábio Baccheretti.

 

Comentários
×