25 mil pessoas precisam regularizar o título de eleitor em Divinópolis

Prazo para realizar os procedimentos vai até dia 4 de maio; ações podem ser feitas pela internet, alerta Justiça Eleitoral

 

Bruno Bueno

Faltam 159 dias para as eleições deste ano. O primeiro turno da votação está marcado para o dia 2 de outubro. O segundo, caso seja necessário, será realizado no dia 30 do mesmo mês. A disputa vai eleger deputados, senadores e o novo presidente.

No entanto, muitos cidadãos não estão aptos a participar da votação. Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Divinópolis, cerca de 25 mil pessoas precisam regularizar o título de eleitor para votar. Os dados apontam que 23.579 estão com o título cancelado e 1.681 com o documento suspenso. E o prazo para regularizar a situação está próximo do fim: dia 4 de maio.

 

Regularização

A reportagem conversou ontem com a chefe da 103ª Zona Eleitoral,  Cíntia Greco. A  servidora da Justiça Eleitoral falou  sobre o prazo e as pessoas que precisam procurar o cartório eleitoral.

— Aquela pessoa que quer votar nesta eleição e está com o título cancelado precisa regularizar. Quem não tem título e deseja fazer também precisa realizar os procedimentos até dia 4 de maio, na próxima semana. Além disso, o eleitor que tem domicílio em outra cidade e mudou também precisa regularizar — afirmou.

Mais de 23 mil pessoas estão com o título cancelado na cidade. Greco explicou os motivos e como resolver o problema.

— O título é cancelado, na maioria das vezes, quando o eleitor fica três eleições sem votar e justificar. Lembrando que cada pleito (turno) conta como eleição. Nessa situação ele não pode votar. Para regularizar, ele deve quitar a multa e movimentar o título. Não basta somente pagar o débito, ele precisa requerer uma revisão. Se a pessoa deixou de votar em alguma eleição, mas o título está regular, ela pode votar sem problema algum — disse.

 

Internet

O eleitor pode regularizar sua situação indo ao cartório eleitoral, localizado na rua Pernambuco, Centro da cidade. Cíntia, no entanto, alerta que a situação também pode ser resolvida de forma mais fácil na internet.

 — Essa regularização pode ser feita de forma on-line e nós até orientamos que aconteça dessa forma. Todos esses serviços que a gente faz presencialmente estão disponíveis no site do TRE, basta entrar na página e requerer o atendimento. Serviços como emissão, revisão e transferência de título, retirada de guia de multa e agendamento de atendimento presencial — ressaltou.

Ainda conforme Cintia, o agendamento no atendimento presencial traz privilégios ao eleitor. 

— O diferencial é que a pessoa será atendida na hora que escolher —  elenca. 

O atendimento na sede também é feito por ordem de chegada. 

 

Jovens

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta semana que o número de jovens de 16 e 17 anos que fizeram o título de eleitor subiu 58,7% em 3 meses. O aumento, segundo a servidora, também foi notado em Divinópolis.

— A procura dos jovens  aconteceu com mais frequência pela internet. Até porque eles têm facilidade com informática. Aumentou bastante na nossa Zona Eleitoral. Na verdade, essa tendência já acontece devido às faculdades que requerem o documento —  concluiu.

Os dados do TSE ainda apontam que os estados mais engajados na campanha foram São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Roraima, Rondônia e Amapá foram as unidades da federação com a menor quantidade de pessoas entre 15 e 18 anos que buscaram a Justiça Eleitoral para tirar o primeiro título. 

 

Dados

Os números em Divinópolis, aos quais o Agora teve acesso na tarde de ontem, ainda mostram que 168 mil eleitores estão aptos a votar na cidade. 97.847 destes estão na 102ª Zona Eleitoral e 70.229 na 103ª. O número é 3% maior do que nas últimas eleições realizadas em 2020.

Dos 23.579 eleitores com títulos cancelados, 13.401 fazem parte da Zona 102ª e 10.178 na 103ª. 1.681 pessoas tiveram os títulos suspensos, sendo 788 na Zona 102ª e 893 na  Zona 103ª. A cidade, segundo os dados, tem 507 seções e 77 locais de votação. 

O Agora complementou o levantamento com dados do TSE. Os números, datados das últimas eleições, apontam que 53,1% do eleitorado divinopolitano é feminino e 46,9% masculino. 2.363 eleitores possuem deficiência. 45,8% deles é solteiro, 43,1% casado, 5,36% divorciado, 3,86% viúvo e 1,88% separado juridicamente.

28,95% tem ensino médio completo, 24,3% ensino fundamental incompleto, 13,69% superior completo, 13,56% ensino médio incompleto, ensino fundamental completo 7,77%, 6,85% superior incompleto, 3,46% lê e escreve e 1,42% são analfabetos. 21 eleitores com nome social estão aptos a votar.

A faixa etária com mais eleitores é a de 35 a 39 anos, que corresponde a 10,36% do total registrado na cidade – além de 40 a 44 anos (10,28%), 30 a 34 anos (10,27%), 25 a 29 anos (9,62%) e 21 a 24 anos (7,40%). Os eleitores com 18 anos, idade em que a votação se torna obrigatória, representam 0,62% do total. Em 2020, 198 jovens de 17 anos e 58 de 16 anos estavam aptos a votar. 

 

Comentários
×