2022 ter√° somente um feriado nacional prolongado

Com menos folgas esticadas, comércio local será beneficiado

 

Da Redação

O ano de 2022 terá apenas um feriado nacional prolongado, a Paixão de Cristo, no dia 15 de abril, que tradicionalmente cai em uma sexta-feira, podendo ser emendado com o fim de semana. Isso sem considerar os feriados estaduais e municipais e festejos como o Carnaval, que é ponto facultativo e algumas cidades adotam como feriado, que vai de segunda a quarta-feira, dias 28 de fevereiro, 1º e 2 de março.

A portaria do Ministério da Economia, que estabelece os dias de descanso no âmbito da administração pública federal, foi publicada no último dia 22 no Diário Oficial da União. Os feriados estaduais e municipais também serão observados nas respectivas localidades, e os serviços considerados essenciais deverão ser preservados nesses dias.

 

Feriados

Três feriados nacionais serão celebrados nos fins de semana, começando por 1º de janeiro, dia da Confraternização Universal e celebração do Ano-Novo, que foi no último sábado. Já os dias 1º de maio, Dia do Trabalho, e 25 de dezembro serão no domingo.

Além desses, são considerados feriados nacionais os dias 21 de abril (Tiradentes), 7 de setembro (Independência do Brasil), 12 de outubro (Nossa Senhora Aparecida), 2 de novembro (Finados) e 15 de novembro (Proclamação da República). Na lista do Ministério da Economia também estão os pontos facultativos de 16 de junho (Corpus Christi) e 28 de outubro (Dia do Servidor Público).

 

Comércio beneficiado 

Para o economista do Instituto Vitaltec, Leandro Maia, os feriados prolongados são prejudiciais para o comércio local em cidades nas quais o turismo não é a principal fonte de geração de renda, como Divinópolis.

— Com menos feriados prolongados, o comércio local será beneficiado, uma vez que as lojas e mesmo o setor de serviços ficarão menos tempo fechados. Para cidades que têm vocação turística, esses dias esticados são positivos, geram renda e atraem pessoas que vão consumir em bares, restaurantes, hotéis e pousadas, ao passo que o comércio em cidades como Divinópolis sofre muito, devido à saída dos consumidores para regiões turísticas — avalia.

A empresária do ramo calçadista Cláudia Silva concorda.

— Com os feriados prolongados, a cidade fica vazia, as pessoas geralmente  viajam ou mesmo vão para sítios. Assim, as vendas diminuem, o que é prejudicial para nós, pois os encargos, salários e outras despesas continuam. Mas, neste ano, as coisas estão ótimas para o comércio, pois teremos mais dias para trabalhar e, por consequência, mais faturamento teremos — avalia a empresária.

 

Turismo

Se, para um lado, a notícia vem em boa hora, para o segmento de turismo não foi tão bem-vinda. 

—  Para as empresas que trabalham mais o turismo interno, a notícia não veio muito a bom gosto, pois os feriados prolongados sempre foram bem-vindos para o segmento, ainda mais fomentando o turismo pelo Brasil. No nosso caso temos 70% de nossos clientes focados em viagens internacionais e um dos nossos principais pacotes para este ano, e que já estamos trabalhando nele, é da Copa do Mundo do Catar. Por isso, já estive no Catar no início de dezembro para negociar hotéis, ingressos e outras mordomias para nossos clientes —  disse o empresário do ramo do turismo Antônio Batista Gomes.

Coment√°rios
×