‘Sinto nojo e pena’: Secretário rebate acusações de vereador

Hilton de Aguiar (MDB) usou a tribuna para denunciar suposta perseguição de Thiago Nunes com servidores municipais; Prefeitura e sindicato se posicionam

Bruno Bueno

As fortes acusações do vereador Hilton de Aguiar (MDB) ao secretário municipal de Administração, Orçamento, Informação, Ciência e Tecnologia, Thiago Nunes, ainda repercutem em Divinópolis. O parlamentar usou seu pronunciamento durante a 1ª Reunião Ordinária da Câmara, na tarde de terça, para denunciar uma suposta perseguição do chefe da pasta com servidores.

Em sua fala, o vereador se referiu ao secretário como “fofoqueiro, mentiroso, ‘xarope’, demagogo, ‘João Bobo’, nojento, puxa-saco”, além de outros adjetivos. Hilton afirma ter recebido denúncias de funcionários que alegam perseguição de Thiago. 

O secretário se pronunciou sobre as acusações em nota enviada à reportagem. Segundo o servidor, o seu sentimento ao ver a fala do vereador foi de “nojo e pena”.

 

Denúncia

Em seu pronunciamento, o parlamentar detalhou as supostas denúncias de perseguição que teriam chegado ao seu conhecimento.

— Ele persegue e quer fazer covardia com os servidores, mas eu estou de olho. O pessoal está me ligando e pode continuar ligando que eu vou falar. (...) Eu estou falando mais dele porque foram várias pessoas que me chamaram e cobraram essa postura. (...) Muda esse jeito seu. Deixa de ser fofoqueiro — afirmou.

 

Além da suposta perseguição, o vereador afirma que o secretário interfere diretamente em decisões do Executivo que, segundo ele, prejudicam a cidade.

— Aquele projeto 089, que queria aumentar várias coisas, foi feito pelo Thiago e Janete [Aparecida, do PSC, vice-prefeita e secretária de Governo]. Eles se trancaram na sala e nem sequer o prefeito sabe o que aconteceu naquele dia. Mas o secretário que persegue os servidores sabia — disse.

 

MP

Hilton encorajou os servidores a procurarem o Ministério Público (MP) para realizar uma denúncia. Ele também voltou a chamar o secretário de mentiroso.

— Servidores, o MP está aqui do lado. Vão lá e falem para eles. Isso é crime. Esse Thiago persegue os servidores, ele é nojento. Baixe essa bola, porque você não manda nada. Puxa-saco de mão cheia, só fica em teta e faz covardia com os servidores. Não merece o meu respeito, porque  é mentiroso e demagogo (...)  — ressaltou.

 

Ele finalizou seu discurso afirmando que o secretário “exala cheiro de enxofre”.

— Ninguém suporta ver ele, porque ele é perseguidor. (...) Pode ter certeza, seu fofoqueiro, mentiroso e xarope, nenhum servidor gosta de você (...) Quando você passa, exala enxofre. (...) Hoje você está por cima, perseguindo e massacrando os servidores, amanhã você pode ter certeza que vai precisar deles — concluiu.

 

Nojo e pena

O secretário respondeu às acusações do vereador na tarde de ontem, afirmando que sentiu nojo e pena do edil. Ele negou as denúncias e disse que o parlamentar está tentando prejudicar sua imagem. Thiago reitera que trabalhou com os últimos três prefeitos e que seus cargos nunca vieram por meio de indicação política ou apadrinhamento.

— Em relação a fala do nobre edil Hilton de Aguiar, tenho somente que lamentar. Lamentar pela velha política suja, desqualificada. Usar o espaço da democracia, que é a Câmara Municipal, para tentar denegrir (sic) a imagem de um servidor público é uma mistura de nojo e pena. Sou servidor público concursado há 12 anos. Não ocupo nenhum cabide de emprego — pontuou.

 

Thiago Nunes disse que está no cargo devido à sua competência. O secretário também usou a nota para disponibilizar parte de seu currículo, que contém formações no Cefet e Uemg. Para ele, um currículo de qualidade não se faz no formato que a velha política prega. 

— É importante esclarecer que não fui atrás do Gleidson para pedir cargo ou nada. Em dezembro de 2020, recebi um telefonema e fui convidado a integrar a equipe do atual governo. Não conhecia o prefeito e muito menos a vice. Convidado, acredito eu, por experiência e por conhecimento, ao contrário de muitos que gostaria de estar nessa posição. Será que isso incomoda os cabides de empregos que hoje não têm chance? — enfatizou.

 

Questionou

Ele questiona se garantir o cumprimento das coisas corretas é perseguir. Para ele, enfrentar um sistema, organizando e disciplinando perante a lei, e acabar com o “jeitinho brasileiro” gera grandes reclamações.

— Quando você entra para enfrentar o sistema, quando você não joga sujo, quando não se é conivente com procedimentos errados, isso realmente traz desconforto. Pegar um sistema, que possui diversos vícios e processos errados, gera desconforto. Enfrentar um sistema que o dinheiro público era gasto feito uma torneira aberta, ou como expressão, enfrentar um sistema que só quer “mamar em todas as tetas disponíveis”, gera pesadelo nas pessoas — prossegue na nota.

 

Thiago Nunes também ressaltou que respeita todos os servidores públicos e sugeriu que o vereador prossiga com a acusação no MP. 

— (...) Vá ao MP e faça a denúncia. É seu dever como vereador e fiscalizador denunciar quando se sabe de um crime. O senhor falou que estou praticando um crime. Pois bem, vá ao MP que está ao lado da Câmara e faça a denúncia. Agora, alerto ao vereador que não denunciar é prevaricação, isso sim é crime previsto no Artigo 319 do Código Penal, com pena de detenção de três meses a um ano e multa — sugeriu.

 

Prefeitura e sindicato

O Executivo Municipal se pronunciou sobre as acusações. Em nota, a pasta disse que o secretário faz parte do time de confiança da atual gestão e cumpre as funções com maestria.

— O prefeito e a vice-prefeita esclarecem que Thiago Nunes teve seu nome escolhido para fazer parte dessa gestão pelo excelente currículo e capacidade técnica, além de ser um servidor extremamente eficiente, cumpridor de suas tarefas e que cumpre diariamente uma carga horária muito além de sua obrigação funcional regulamentar, inclusive, com trabalhos aos finais de semana, sem receber a mais por isso — disse.

 

O Agora também entrou em contato com o Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram). Em nota, o órgão não quis se pronunciar sobre a existência de denúncias contra Thiago Nunes.

— A diretoria do Sintram informa que resguarda as partes que procuram o sindicato para fazer denúncia — justificou em nota.

Comentários
×