‘Recursos estão parados por falta de projeto, planejamento e gestão de qualidade’, diz vereadora

Lohanna França denunciou mais de R$3 milhões que ainda não foram utilizados em Divinópolis

Da Redação

A situação orçamentária de Divinópolis foi um dos assuntos comentados na reunião da Câmara na tarde desta terça-feira, 8. A vereadora Lohanna França (CDN), afirmou, durante seu pronunciamento, que melhorias na cidade não estão sendo feitas por falta de verba, mas sim pela ausência de planejamento da Prefeitura.

— Tenho certeza que todos os vereadores aqui presentes já escutaram que não tem dinheiro na Prefeitura de Divinópolis. Falta dinheiro na Prefeitura ou falta competência? Os recursos estão parados por falta de projeto, planejamento e gestão de qualidade — disse a parlamentar.

Emendas
Lohanna disse que Divinópolis recebeu, em 2020, cerca de R$1 milhão do deputado federal André Janones (Avante) para cirurgias eletivas, além de outros R$800 mil das sobras da economia que a Mesa Diretora da Câmara promoveu em 2021. Essa verba, no entanto, ainda não teria sido utilizada.

— O que a gente não viu foi transparência e planejamento no uso desse recurso — pontuou.

A parlamentar continuou dizendo que R$1 milhão e 600 mil, enviados pelo deputado estadual Cleitinho Azevedo (CDN), continuam parados. A verba seria destinada para a revitalização completa de várias ruas e da região do Lago das Roseiras.

— Uma região que depois de ser revitalizada vai gerar emprego, renda e turismo. Isso é tudo o que a gente precisa e o dinheiro está parado. Parado por falta de competência para fazer projeto — disse.

No esporte, a vereadora completou afirmando que os recursos enviados pelo ex-deputado federal Fabiano Tolentino (CDN) para a reforma do Poliesportivo e Divinópolis Tênis Clube (DTC), que correspondem a mais de R$ 500 mil, também não foram utilizados.

A vereadora também pontuou que os R$ 345 mil destinados para a construção de uma creche na Escola Municipal Antonieta Fonseca, além dos R$ 300 mil para o Centro Técnico Pedagócico (CETEPE) e R$ 50 mil para a Escola Municipal Quintino Lopes, todos enviados pelo deputado Gustavo Mitre (PSC), também estão parados.

— Entre tudo que eu falei já são mais de R$700 mil que o deputado Gustavo Mitre destinou para a cidade e que não está sendo utilizado por inoperância e incapacidade da prefeitura — afirmou.

Vale
A vereadora continuou seu pronunciamento dizendo que a população divinopolitana deveria ter sido ouvida em relação ao destino da quantia recebida com a indenização da Vale.

— Divinópolis recebeu, além da garantia do término do Hospital Regional, 15 milhões livres para investimento. E nessa casa falei que deveríamos fazer audiência pública e discutir com a sociedade em como gastar esse dinheiro. Não fui ouvida — disse.

Ela seguiu dizendo que, mesmo após um pronunciamento do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) sobre o destino dessa quantia, falta mais transparência.

— Agora o que ele [prefeito] tem dito é que vai calçar as ruas. Mesmo para calçar as ruas a população precisa ser ouvida. Quais ruas serão calçadas? Vocês estão conversando com quais bairros? Qual população está sendo ouvida? Será que só os amigos da gestão que serão contemplados, tanto aqui na Câmara quanto na sociedade? — completou.

Comentários
×