Índice de confiança da construção recua

Queda nos números da atividade ocorre pelo sexto mês seguido, mas expectativas continuam

Da Redação 

Pelo sexto mês consecutivo, a Sondagem da Indústria da Construção de Minas Gerais de abril assinalou queda na atividade. O indicador de emprego ficou abaixo dos 50 pontos pela segunda vez seguida, sinalizando recuo do número de empregados. Os dados são da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). Empresários apontam piora tanto da percepção dos empresários sobre a situação atual da economia quanto das expectativas para os próximos seis meses.  

Mesmo com o declínio, as expectativas para os próximos seis meses continuaram positivas. De acordo com o levantamento,  os construtores mostraram otimismo com relação à atividade, à compra de insumos e matérias-primas, aos novos empreendimentos e serviços e ao emprego. 

— As intenções de investimento cresceram frente ao mês anterior e foram as mais elevadas para maio em oito anos — destacou o relatório.

 

Emprego 

O índice de evolução do número de empregados aumentou 1,3 ponto ante março (47,7 pontos) e marcou 49 pontos em abril. O resultado sinalizou retração do emprego pelo segundo mês consecutivo, ao permanecer inferior aos 50 pontos. Em relação a abril de 2021 (43,2 pontos), o indicador avançou 5,8 pontos, sendo o mais alto para o mês em 11 anos.

Divinópolis tem 1,6 mil empresas do setor da construção. Até abril, foram criadas 141 vagas de trabalho no setor da construção.  

 

Atividade 

O índice de atividade da construção recuou 1,1 ponto em relação ao verificado em março (48,5 pontos), registrando 47,4 pontos em abril. O indicador continuou inferior aos 50 pontos – limite entre queda e expansão – pelo sexto mês consecutivo, mostrando diminuição da atividade do setor. Frente ao apurado em abril de 2021 (43,7 pontos), o índice cresceu 3,7 pontos e foi o mais elevado para o mês em cinco anos.

O indicador de atividade em relação à usual avançou 3,1 pontos entre março (40,4 pontos) e abril (43,5 pontos). Apesar do aumento, o índice sinalizou atividade inferior à habitual para o mês, ao ficar abaixo dos 50 pontos. Na comparação com abril de 2021 (37,6 pontos), o indicador cresceu 5,9 pontos.

 

Confiança

O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais (Iceicon-MG) marcou 52,7 pontos em maio, recuo de 1,5 ponto frente a abril (54,2 pontos). Essa retração foi justificada pela piora tanto da percepção dos empresários sobre a situação atual da economia quanto das expectativas para os próximos seis meses. Contudo, o indicador mostrou confiança dos construtores mineiros pelo 13º mês seguido, ao permanecer acima dos 50 pontos, e foi 1,9 ponto superior à sua média histórica (50,8 pontos). Na comparação com maio de 2021 (54,2 pontos), o índice diminuiu 1,5 ponto. O Iceicon nacional de maio (56,2 pontos) cresceu 0,7 ponto em relação a abril (55,5 pontos) e mostrou empresários brasileiros confiantes pelo 22º mês consecutivo.

O Iceicon é resultado da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas, que variam de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos apontam percepção de melhora na situação atual e expectativa positiva para os próximos seis meses, respectivamente.

 

Comentários
×