‘Não iremos naturalizar a barbárie’: ato popular denuncia preconceito

Atividades em Divinópolis visam expor e repudiar xenofobia e racismo após assassinato de congolês Moïse, no Rio de Janeiro

 

Da Redação

Ato popular é uma ação do povo para o povo, uma forma de manifestação que contemple, por meio da arte e suas expressões, o direcionamento político e social. Assim, no próximo sábado, 5, a partir das 10h30, a Kasa Soul realiza o Ato, no Centro de Comércio Popular, o Camelódromo.

O evento contará com a presença do grupo musical "Operah Lobos", mais discotecagem de discos de vinil da Kasa Soul e também um sarau de poesia aberto para o público que queira recitar algum poema. A atividade é gratuita, porém os coordenadores estarão  arrecadando alimentos para outro projeto da entidade,  o "Alimento e Ação".

— Nosso Ato vem denunciar a xenofobia e o racismo através da violência cometida ao cidadão congolês Moïse Mugenyi Kabagambe, espancado até a morte. Não iremos naturalizar esta barbárie e muito menos esquecer tais ações nocivas ao povo e para o povo — disse Sérgio, que, juntamente com Ari, Edenilson, Jaya, Mec, Mariella e Rafael, está ligado diretamente ao evento. 

 

Kasa Soul

A Kasa Soul (Sociedade Orgânica Unida Libertária) é uma iniciativa de pessoas ligadas à cultura alternativa que tem como intuito difundir e praticar atividades sociopolíticas dentro de um espaço libertário e de organização horizontal entre seus indivíduos.

O espaço, em Divinópolis, não visa fins lucrativos e não possui vínculos religiosos ou partidários, tendo como principal objetivo promover e incentivar produções artísticas de diversos segmentos. 

Atualmente, o espaço conta com diversas atividades e projetos, como espaço de moradia, hortas, composteira orgânica, brechó gratuito, cinema popular, distro, estúdio musical, distribuição gratuita de frutas e verduras, biblioteca comunitária, espaço de jogos, ateliê com materiais reciclados de câmara de ar, incentivo e conscientização ao uso de bicicletas e também alimentação e cuidados aos animais de rua.  

A entidade vem ampliando seus laços de apoio mútuo com outros grupos que possuem causas em comum, como a distribuição de alimentos gratuitos para pessoas em situação de rua e moradores de bairros periféricos. 

— A Kasa está aberta a pessoas que queiram conhecer, sugerir e/ou participar de projetos e atividades. Acreditamos na experimentação e troca de experiência para nos fortalecermos como grupo e comunidade e, assim, buscarmos alternativas práticas de vida para todos — convida Sérgio.

Comentários
×