É hora

É hora 

As chuvas deram uma trégua em Minas Gerais e devem diminuir bastante até esta quinta-feira, conforme as previsões. Agora é hora de contabilizar os prejuízos, tentar arrumar a bagunça e, principalmente, dar as mãos a quem foi afetado e precisa de apoio. É momento também de repensar nas atitudes incoerentes e, muitas vezes, criminosas. Pode até parecer normal e passar despercebido aos olhos das autoridades, mas, além desrespeitosa, invadir matas, botar fogo e construir à beira de rios é crime. É para esse controle que existem as Áreas de Preservação Permanente, as chamadas APPs. Em Divinópolis, não são poucas as empresas situadas à beira do querido e judiado Itapecerica. E todas as nossas autoridades sabem muito bem disso, mas preferem ser negligentes e atender a interesses particulares, ignorando leis e contribuindo com desastres naturais que prejudicam a maioria. Para quem sabe ler...

 

É intolerável 

A infraestrutura de grandes centros como Divinópolis é complexa e, muitas vezes, deixa a desejar. No entanto, não é somente pelo crescimento acentuado e falta de apoio dos governos. O comportamento de alguns legisladores é inadmissível e contribui de forma decisiva para isso. A Planta de Valores do IPTU é um exemplo claro disso. Sem aumento desde 1994, a última Administração tentou, no entanto, a defesa dos mais ricos, por parte de alguns vereadores, impediu que se fizesse justiça na cobrança. Ou seja, é mais conveniente defender “quem tem poder R$”, e ter algo depois em troca, do que pensar na cidade e sua população. Agora, como se muita gente não soubesse dessa conduta “duvidosa”, é mais fácil jogar a culpa do reajuste – dentro da lei, é bom ressaltar – no prefeito Gleidson Azevedo (PSC), que nada mais fez do que tinha que fazer, ou qualquer outra em seu lugar faria. Para quem entende como funciona o “sistema”, é fácil chegar à conclusão, porque o Brasil e seus municípios andam igual caranguejo: para trás. 

 

É descaso 

E, por falar em legisladores, na nossa Câmara Municipal de cada dia, 80% dos vereadores deram um chá de sumiço durante esses dias terríveis em Divinópolis. O que se viu foi um ou outro aqui e acolá, mostrado por meio de vídeos. Para não ser injusta, como a coluna é isenta e mostra o que de fato é, sem temer críticas, Ana Paula do Quintino (PSC), Lohanna França (CDN) e Flávio Marra (Patriota) foram os mais presentes em locais que tiveram maiores danos. Teve vereador que foi mostrar estragos nas ruas, envolveu a empresa que faz os reparos nos buracos e depois perdeu o foco. Ficou nítido que o objetivo era somente aparecer. E não vem apelar, como de costume – se não quiser aparecer com nome e tudo e ainda com mais detalhes da manobra, ok? 

 

É notável 

Pelo lado do Executivo pode se falar que, apesar de ser obrigação, o trabalho foi mais longe. Além da estrutura montada com participação de todas as secretarias do Município, com destaque para a Defesa Civil e Settrans, o prefeito Gleidson e a vice Janete atuaram de forma decisiva. Aliás, tem quem não concorde, mas, desde o início da gestão, os dois não resumem seus trabalhos às suas cadeiras no Centro Administrativo. São sempre presentes em eventos e situações diversas por diversas áreas da cidade. Neste período de chuva, vestiram literalmente as capas e acompanharam in loco as situações de maior risco de Leste a Oeste do município. Colocaram a mão na massa, ou melhor, na água, nos móveis, na lama e mostraram que a diferença se faz com atitudes. Seja quem for, aflorar seu lado humano sempre é uma grande virtude. 

 

É perigoso 

A tendência de bem menos água nas regiões afetadas pelas chuvas em Minas não significa que o perigo acabou. A população deve permanecer atenta, desta vez, devido ao risco geológico. O alerta é do Corpo de Bombeiros, visto que, por mais que a quantidade de chuva diminua, como o solo está saturado, o risco de deslizamentos, desmoronamentos e desabamentos são grandes. Não custa ajudar as autoridades, né?  Tem muita gente que costuma ousar e não pensar nas consequências. Essas pessoas, se não têm amor próprio, pelo menos neste momento, pensem no próximo. Afinal, atitudes afoitas podem ter resultados irreversíveis. 



Comentários
×