É cansativo provar que sou capaz diariamente só por ser mulher!

Laiz Soares

A mulher brasileira não tem um dia de paz nesse país. Fato! Ela está o tempo inteiro tentando provar que é capaz de alguma coisa. Já parou para pensar quantas vezes você justifica que vai conseguir gerir uma determinada área da sua vida pessoal e profissional? Some a isso o número de pessoas que vão dizer que você não vai dar conta, não vai conseguir e não é capaz.

Embora a violência física ou sexual seja o extremo, queria contar que o abuso psicológico e intelectual também é um tipo de violência e que tem acontecido com frequência desde o dia que nascemos. Muitas vezes pode parecer até inofensivo, mas ele tem paralisado e calado muitas mulheres. Você deve conhecer alguém que tenha passado por isso e eu conheço tantas outras. Infelizmente, não estamos livres.

Quantas vezes você sentiu ridicularizada diante de suas ideias, foi ofendida e debochada em determinada situação, te tiraram o direito de tomar uma decisão e te deixaram sem escolhas? Esse é um tipo de violência que acontece com as mulheres de todos os níveis sociais,  inclusive na carreira. O que esse país não se acostumou ainda é com o aumento (mesmo tímido) das lideranças femininas e os altos cargos que muitas estão ocupando. Cada cadeira ocupada por elas, maior a chance de sofrerem abuso intelectual.

Este é aquele jeitinho brasileiro de calar a voz delas, a minha e a sua. Mas posso afirmar que ainda existem muitas que querem e lutam para acabar com esse e outros tipos de violência e não se intimidam quanto a sua capacidade de ocupar um cargo importante, seja ele público, privado ou até mesmo acadêmico. 

Elas sabem o quanto estudaram e se prepararam tanto quanto um homem para exercer uma profissão, uma carreira, ocupar uma cadeira pública. No entanto, apenas por serem mulheres (só por esse motivo), muitas vezes, o caminho do sucesso é mais árduo, longo, lento e distante. É apesar do famoso slogan que diz que “lugar de mulher é onde ela quiser”, para chegar onde querem é preciso travar diversas batalhas.

Queria dizer que isso é cansativo, mas me esforço para persistir mesmo em um caminho repleto de pedras, já que vejo a vitória de tantas colegas que com garra chegaram onde elas bem quiseram. Mesmo assim, ainda temos poucas referências de lideranças femininas tanto no âmbito público ou privado deste país.

Sabe quantas presidentes mulheres nosso país teve em toda a sua história? Uma. Quantas governadoras temos hoje no território nacional? Apenas três. 

Sabe o que isso significa? Que falta representatividade por conta da quantidade de barreiras que são impostas no caminho de uma mulher. Precisamos superar essa desigualdade de gênero em todas as esferas da nossa sociedade.

Não somos o sexo frágil da questão. Pelo contrário, equilibramos diversos pratos diariamente, cuidamos dos filhos, da casa, dos estudos, da alimentação, da carreira, somos chefes da família, tomamos decisões importantes, somos resilientes por natureza, sabemos falar com diversos públicos e lidar com diversas situações. 

Somos bravas quando é preciso, calmas quando o momento pede por isso, pacientes quando queremos alcançar algo e determinadas quando miramos onde pretendemos estar.

Mais do que qualquer coisa, queria dizer que temos capacidades para ocupar o cargo, o lugar em que tanto desejamos e apesar do cenário ser desolador para nós, não vamos parar!

*Laiz Soares é candidata à deputada federal. É formada em relações internacionais pela PUC Minas e pela Essca na França. Atuou liderando equipes e projetos no setor privado, em ONGs e no Congresso Nacional

 

Comentários
×