Vigilância Sanitária busca cerveja contaminada

Da Redação

As equipes da Vigilância Sanitária de Divinópolis percorrem, durante toda a semana, os estabelecimentos do município que vendem bebidas alcoólicas. O intuito é verificar se os locais têm os lotes que estão sob suspeita de contaminação da cerveja Belorizontina. Caso sejam encontrados, o produto será recolhido das prateleiras, mas o dono do local será fiel depositário. Já os empreendimentos que não possuem as cervejas receberão um laudo da vigilância.  

Importância

Segundo a gerente da Vigilância Sanitária, Érika Camargo Ferreira, essa é uma iniciativa da secretaria que tem como objetivo de esclarecer as dúvidas da população e resguardá-la de uma possível intoxicação.

— A maioria dos estabelecimentos que visitamos já tinha recolhido o produto, é importante que seja guardado, caso precise fazer mais análises. Não foi encontrada nenhuma unidade dos lotes contaminados, o trabalho continua durante a semana— disse Érika.

A Prefeitura informou que, no primeiro dia de ação, foram percorridos 27 estabelecimentos e apenas dois tinham a cerveja na área de vendas, porém com lotes diferentes dos sob suspeita. A previsão da Vigilância Sanitária é visitar cerca de 120 estabelecimentos, incluindo mercearias, supermercados e distribuidoras de bebidas.

Orientação

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) em Divinópolis recomenda às pessoas que tenham os lotes contaminados da cerveja Belorizontina que não descartem as garrafas.

— O Procon Divinópolis orienta os consumidores que possuírem alguma cerveja da marca, lotes L1 1348, L2 1348 e L2 1354, que se dirijam ao órgão e as entreguem. As garrafas serão devidamente encaminhadas para autoridades de saúde ou outro órgão competente, cujo procedimento ainda está em ajuste — ressalta.

O Procon informou ainda que foi encontrado mais um lote contaminado por monoetilenoglicol, o L2 1354.

Comentários
×