Venceria de qualquer forma

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Jogo alucinante, com direito a duas viradas e a maior goleada do futebol mineiro na atual temporada. Este é um retrato fiel e simplificado do que foi Guarani e Democrata de Sete Lagoas, que se enfrentaram na tarde de sábado, no estádio Waldemar Teixeira de Faria, no bairro Porto Velho.

Fruto do trabalho

 A vitória de 6 a 2 pode até ter surpreendido a alguns, mas quem acompanha o Guarani desde o início do ano sabe bem que este resultado não veio por acaso. Ele é o fruto do bom trabalho que vem sendo feito pelo treinador Gian Rodrigues e sua jovem comissão técnica. E muito mais eles irão colher ainda neste ano. Esta é a esperança de toda a torcida.

Estão enganados...

 ...aqueles que afirmam que o Guarani chegou à goleada porque o Democrata teve dois jogadores expulsos, estão redondamente enganados. A vitória viria de qualquer forma, mesmo com o Jacaré permanecendo com os 11 atletas em campo.

Apesar de ter levado a virada para 2 a 1, o Bugre já jogava bola para vencer. Tirando uns poucos minutos de puro nervosismo, logo após o segundo gol do Democrata, o Guarani foi sempre o senhor das ações e os gols seriam apenas uma questão de caprichar na pontaria. Simples assim!

Jogo de líderes

 Para o próximo fim de semana, o Guarani tem encontro marcado com o invicto CAP Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Nada que assuste os comandados de Gian Rodrigues. O estádio Parque do Sabiá oferece todas as condições para o Bugre praticar um bom futebol.

E tem mais. Pelo tamanho do estádio, sem a pressão de outros campos do interior, a partida de domingo será disputada em “campo neutro” e vai vencer aquele que souber melhor tratar a bola – “chamá-la de você”. E com o jogo de toque do time treinado pelo Gian, não tenho dúvidas em afirmar que o Guarani pode se dar muito bem no sábado. É apenas esperar para conferir!

MANGUEIRAS BRASIL

 O multicampeão Cruzeiro

 

Com parciais de 25/19, 25/18 e 25/20, o time masculino de vôlei do Sada Cruzeiro derrotou o Lomas Voley, da Argentina, por 3 sets a 0, na noite de sábado, no ginásio Tancredo Neves, na cidade de Montes Claros, e ficou com o pentacampeonato do Sul-americano de vôlei de Clubes. As conquistas anteriores tinham sido nas temporadas de 2012, 2014, 2016 e 2017.

É o time estrelado marcando seu nome de forma definitiva no voleibol do continente e mundial. Desde 2010, quando foi criado, o esquadrão azul já contabiliza 30 troféus de campeão, em 34 torneios disputados. Números para fazer inveja a todos os concorrentes, de todos os esportes.

Além da taça de campeão, a Raposa ganhou no sábado o direito de representar o continente no Campeonato Mundial de Clubes de voleibol, a ser realizado no fim do ano.

Pior campanha na era dos pontos corridos 

Mais do que correr atrás do prejuízo e buscar a classificação para as quartas de final do Campeonato Mineiro 2018, o time alvinegro, treinado pelo Thiago Larghi, tem mais uma tarefa a cumprir. Tem é de começar do zero, para escrever um novo capítulo, porque até aqui só fizeram entrar, de forma negativa, na história do Clube Atlético Mineiro.

 Pior campanha 

Desde que o estadual passou a ser disputado no formato de pontos corridos, esta já é, mesmo faltando ainda duas rodadas para o término da fase de classificação, a pior campanha do Galo no torneio.

Até então, o pior ano do clube alvinegro havia sido em 2005 e em 2008. Naqueles anos, o Atlético venceu seis jogos, empatou um e perdeu quatro, concluindo a primeira fase do Mineiro com 19 pontos somados. Em 2018, passadas nove rodadas, o Galo tem apenas 12 pontos. Como tem mais dois jogos para disputar – contra Uberlândia e Tombense –, pode somar no máximo mais seis pontos, chegando a 18, um a menos que o somado na campanha de 2005.

Além disso, outra marca negativa está assegurada. Nunca – também desde 2005 – o Atlético terminou a primeira fase do Estadual com menos de seis vitórias. Como tem apenas três, pode chegar no máximo a cinco. O alvinegro terminou a fase classificatória com seis triunfos em 2005, 2006, 2007, 2008, 2010 e 2016.

Comentários
×