Vem mais aí!

 

Marcelo Marreco tem falado aos quatro cantos que tem mais gravações para trazer à tona. Detalhe: não é só áudio. Tem vídeo.

Aperto 

Pelo menos três vereadores estão perdendo noites de sono desde que as primeiras gravações surgiram. Teve um, garantem fontes de dentro da Câmara, que já pensou até em renunciar.

 Tem nome 

O vereador Edson Sousa (MDB) já deu nome à Comissão Parlamentar de Inquérito que pretende instaurar para investigar, dentre outros fatos, as gravações. É “CPI do Divinews”.

 Meio expediente

O prefeito Galileu Machado (MDB) decidiu prorrogar a redução da carga horária nas repartições da Prefeitura até 31 de agosto. Começa às 12h e termina às 18h. O governo garante ter economizado R$ 3,1 milhões com a medida.

 ‘Aventura política’ 

Em nota divulgada ontem, o Governo de Minas manifestou estranheza pela aceitação do início do processo de impeachment de Fernando Pimentel (PT). Disse ainda que não é momento para “aventuras políticas”.

 ‘Sem sustentação’ 

Diz a nota: “O Governo de Minas viu com estranheza a aceitação do pedido de impeachment, inconsistente e sem sustentação jurídica, mas reconhece esta como uma prerrogativa dos parlamentares mineiros, que saberão analisar o caso com a prudência necessária, respeitando rito e regras próprios estabelecidos pelo regimento interno da Assembleia Legislativa”.

 ‘Concertação’ 

“Dadas as graves crises financeira e político-institucional por que passa o país e a proximidade das eleições, não é momento para aventuras políticas que coloquem em risco a estabilidade conquistada em Minas Gerais. A concertação e o diálogo construídos até aqui entre as instituições estaduais continuam sendo o caminho mais seguro para a superação de qualquer divergência”, finaliza a nota.

 Na defensiva I 

Quem imaginou Aécio comemorando a situação de Pimentel enganou-se. No mesmo horário a defesa dele tratava de defendê-lo sobre outro assunto: “O senador Aécio Neves prestou, nesta quinta-feira, 26, todos os esclarecimentos solicitados em inquérito que investiga as obras da usina de Santo Antônio, no Estado de Rondônia. Por se tratar de empreendimento conduzido pelo governo federal à época, ao qual o senador e seu partido faziam oposição, não há nada que o vincule às investigações em andamento. Os próprios delatores afirmaram em seus depoimentos que as contribuições feitas às campanhas do PSDB e do senador nunca estiveram vinculadas a qualquer contrapartida”.

 Na defensiva II 

Outro tucano sem condições de comemorar a situação de Pimentel é Eduardo Azeredo. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) publicou ontem a decisão do julgamento do recurso em segunda instância do processo conhecido como mensalão mineiro. O ex-governador foi condenado a 20 anos e um mês de prisão. A defesa de Azeredo, segundo a Agência Brasil, tem agora dois dias úteis para apresentar recursos. Ou seja: até a próxima segunda-feira, 30.

 Na defensiva III

 A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitou, na última terça-feira, os recursos da defesa do ex-governador e ex-presidente nacional do PSDB. A decisão confirmou a condenação em segunda instância, que determinou que o político cumpra pena pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro na Ação Penal 536. A dúvida agora é: vai ser preso mesmo?

Comentários
×