Torcida exigente

José Carlos de Oliveira

O Guarani iniciou a temporada com três derrotas em igual número de jogos treino, em testes que servem para o técnico Wantuil Rodrigues ir corrigindo aos poucos as falhas apresentadas pelo time neste início de caminhada em 2020.

E, mesmo assim (ou por causa disto, como preferirem os torcedores bugrinos), já aparecem os primeiros corneteiros a deitar falação contra tudo e todos, como se fosse obrigação do Bugre vencer sempre daqui para frente.

Menos

Menos, pessoal, bem menos. O que menos importa neste início de trabalho são os resultados, porque o que realmente interessa ao alvirrubro serão os três pontos quando os jogos forem para valer, a começar do duelo frente o Betim, marcado para o dia 8 de fevereiro, no estádio Waldemar Teixeira de Faria, em Divinópolis.

Adversários qualificados

Esquecem-se alguns que o Bugre enfrentou equipes qualificadas nas três partidas, que estão bem à frente do alvirrubro em termos de preparação e qualidade técnica. E, por isso, mesmo as derrotas devem ser é valorizadas, pois servem de parâmetro para o técnico Wantuil Rodrigues fazer os ajustes que se fizerem necessários.

Jogar e perder para Boa Esporte, Coimbra e Cruzeiro não é demérito nenhum. Pior seria se enfrentasse equipes amadoras, vencesse de goleada e mascarasse, com os resultados, o real poderio do jovem time que está sendo armado para a disputa do Módulo II. Guarani vendeu caro a derrota para a Raposa

Torcida marca presença

E, por falar em torcida, de parabéns estão os cruzeirenses, que realmente abraçaram as ideias do conselho gestor e estão contribuindo para anunciar uma nova era para a Raposa. Ao somar 35.331 adesões (até o meio da tarde de ontem) do novo plano de sócio contribuinte – a Reconstrução – os torcedores deixam claro que ficarão lado a lado com o clube neste triste momento de sua história.

Sem cobranças

Mas é bom ficar atento aos detalhes, porque não adianta apoiar agora e deitar falação quando os resultados não forem os esperados. Neste momento, não dá para exigir resultados a todo custo. O que importa, atualmente, é armar uma equipe de qualidade (com aquilo que tem ao seu dispor) para buscar o principal objetivo da temporada, a Série B, que vale o retorno à elite do futebol nacional, de onde dirigentes inescrupulosos o tiraram, com seus roubos e malfeitos.

Rivalidade sadia

No mesmo dia em que a diretoria azul convocava sua torcida para a reconstrução do clube estrelado, o departamento de marketing do Clube Atlético Mineiro convocava seu torcedor a participar do projeto “construção”, numa alusão ao novo estádio do Galo, a Arena MRV, que deve ter suas obras iniciadas ainda em fevereiro.

É desta rivalidade sadia, sem agressões e adjetivos chulos, que necessita o futebol das Minas Gerais, pois a grande verdade é que tanto Galo como Raposa precisam muito disto. É a rivalidade entre eles que embala os sonhos das duas torcidas.

Comentários
×