Toda hora

Confesso que, desde que assumi este PB, nunca tive tanta dificuldade para escrever como ontem. Aliás, desde a última segunda-feira, 16, quando a situação do coronavírus ganhou novos contornos no Estado e em Divinópolis, tudo é muito instantâneo. As informações, agora, não mudam todo dia, de manhã ou à tarde. É toda hora. Então, como escrevo no início da tarde, fiz mesmo correndo o risco de ter que alterar no fim do dia. Mas vamos lá, faz parte da rotina da redação.

Inevitável

Desde que surgiram os primeiros casos no Brasil, era inevitável que esta proliferação iria ocorrer. Em Divinópolis, não devido ao caso confirmado, mas ao fluxo de pessoas que vêm à cidade todos os dias a trabalho, e outras daqui, que vão a outros municípios e estados, as notificações cresceram. E isso foi comprovado principalmente nesta semana, quando os registros aumentaram a cada dia. Para conter este avanço, a Prefeitura tomou ontem uma medida drástica. Criou um decreto complementar determinando o fechamento de parte dos estabelecimentos comerciais da cidade. Medida dura, mas fundamental neste momento.

Corajosa

A medida adotada pela Prefeitura, sem dúvida, foi corajosa. Divinópolis passa a ser a primeira cidade do interior do Estado a determinar o fechamento de empresas. O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) já havia tomado esta decisão e, também a partir de hoje, a capital dos mineiros para. Vale ressaltar ainda o esforço do Município desde o início, do que não era ainda pandemia, para tentar conter o avanço da doença na cidade. O secretário de Saúde, Amarildo Sousa, mesmo em férias, não poupou esforços para manter os divinopolitanos tranquilos e bem informados. Agora, a vez é de a população retribuir e seguir piamente as regras estabelecidas. Só assim será possível enfrentar e vencer esta batalha.

Novos integrantes  

A partir de agora, o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao novo coronavírus conta com novos integrantes. O comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Webster Wadim Passos, a comandante do Corpo de Bombeiros, major Amanda Cristina, e o delegado regional, Leonardo Pio. Um reforço e tanto neste momento em que Divinópolis precisa da ajuda de todos.

Morta

Imagine uma cidade que fervilha de carros e de gente todos os dias, especialmente na região central e na dos shoppings com ares de domingo ou feriado durante 15 dias? Aliás, pior. Porque, nestes dias, pelo menos, bares, lanchonetes e sorveterias abrem. Vai ser muito estranho e triste. Mas, infelizmente, a maior parte das pessoas só seguem certas regras quando são obrigadas. E, se é para o bem de todos, que nos acostumemos a estes dias sombrios.

Na política

Cidade parada, política também. Pelo menos na Câmara de Divinópolis, até então, as reuniões ordinárias estavam sendo realizadas. Suspensão de audiências públicas, entregas de premiações e outros. A partir de hoje, serão 15 dias sem o encontro dos vereadores, mesmo com projetos importantes para serem avaliados. No entanto, todos concordam e é o correto, a saúde vem em primeiro lugar.

Menos riscos

Com o crescimento rápido da contaminação na cidade, 43 notificações, 11 descartadas e um confirmado e 31 casos em análises. Isso até o fim da tarde de ontem, visto que todos dos dias os números são outros. Além disso, cinco pessoas internadas. Este é o quadro atual desenhado até o momento pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Com tanta gente em casa, a expectativa é de que o aumento freie, do contrário, não haveria leitos suficientes na cidade para tanta gente. Sem contar que os kits para os testes acabaram.  Não há alternativa. É cada um fazer a sua parte para o bem de todos.

Comentários
×