Servidores da educação estadual fazem nova greve

 

Gisele Souto 

Em decisão acertada no 11° Congresso Estadual do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-Ute) no último 5, terça-feira da semana passada, os servidores do Estado começaram a parar suas as atividades nesta segunda-feira, 11. Foi deliberado um calendário de lutas que começou a partir daquela data. A principal exigência dos servidores agora é que o Governo do Estado pague no 5º dia útil e coloque fim ao parcelamento dos salários. Houve participação ainda do Sind-Saúde e do Sindieletro, sindicatos que fazem a mesma exigência.

No mesmo dia, o Sind-Ute fez a notificação da paralisação ao Governo do Estado. Os participantes decidiram pela suspensão das atividades neste mês até o pagamento da primeira parcela dos salários, caso não seja feita no quinto dia útil. Como não foi feito, a ameaça se concretizou. O Estado já anunciou que pagará a primeira parcela no dia 13.

Convocação 

O movimento deve se fortalecer a partir de hoje, tendo em vista que o sindicato começou a convocar para a paralisação ontem. O SindUte argumenta que a decisão foi tomada após a categoria enfrentar constante instabilidade sobre o pagamento dos salários. A Superintendência Regional de Ensino (SRE) com sede em Divinópolis ainda não tinha informações sobre a situação na cidade até o meio da tarde de ontem. Já a Secretaria de Estado de Educação (SEE) confirmou que foi notificada pelo sindicato, mas que ainda iria acompanhar a movimentação. Somente no fim do dia, emitiria um parecer.

Esta é a segunda vez que os servidores param no ano. A primeira se encerrou há cerca de um mês.

 

 

Comentários
×