Segredo das pessoas de sucesso

Augusto Fidelis

 

Acabamos de ler o livro elaborado por David Niven, “Os 100 Segredos das Pessoas de Sucesso”. A obra reúne as conclusões de vários cientistas sobre as diferentes formas de se alcançar o sucesso em todos os aspectos da vida. Cada capítulo apresenta uma dessas conclusões, acompanhada de um exemplo básico que a pessoa pode seguir e, dessa forma, se tornar feliz e realizada.

A primeira é para os colegas jornalistas, recém-formados, que pretendem desenvolver o trabalho no rádio e na televisão: “Comunicar não é dizer tudo, mas fazer-se entender pelo outro”. O segredo é falar mais devagar, não num ritmo que dê sono, mas de forma que o ouvinte tenha tempo de absorver o que foi falado. O exemplo é o jornalista David Brinkley, famoso por sua dicção perfeita. Ele foi pioneiro na apresentação dos noticiários da TV americana.

A segunda questão refere-se à competência no trabalho. Estudos do cientista Grible alertam que a competência começa com o se sentir competente. Para esse estudioso, as pessoas que não se consideram competentes naquilo que fazem, que não se acham capazes de ter sucesso ou de conquistar cargos de liderança, continuam com essa visão negativa mesmo que se tornem bem-sucedidas. A autoestima conta mais para medir o desempenho profissional do que o próprio desempenho.

Na verdade, garante Schemerk, as pessoas têm tendência de achar que, se houver um esforço considerável, o objetivo será alcançado. No entanto, o esforço é um dos fatores menos significativos na obtenção do sucesso. Isto não significa que o esforço não seja necessário. Mas, se for ineficiente, leva rapidamente ao desânimo, pois faz as pessoas pensarem que nunca serão bem-sucedidas, mesmo que se empenhem ao máximo. De uma forma ou de outra, o objetivo da pessoa é progredir e não apenas se esforçar.

Acrescenta-se a isso a questão da criatividade, que não tem preço. Uma trinca de estudiosos afirma que criatividade requer inspiração genuína. Ela não é despertada por dinheiro ou recompensas, mas quando ficamos profundamente intrigados por uma questão, uma situação, uma possibilidade. Ela nasce com o nosso interesse, quando concentramos nossa atenção em alguma coisa que realmente nos intriga ou motiva. E para concluir, levemos em conta o que diz Orlik: “É preciso valorizar as pequenas vitórias. Tenha prazer com os pequenos avanços, para alimentar seu esforço continuo”. O sucesso é isso: dar os passos de acordo com as pernas, mas sempre acreditando que pode ir mais longe, sempre.

augustofidelis1@gmail.com

Comentários