Rock para surdos no “Sarauzinho em Libras”

Da Redação

A banda de rock Esfera do Ser, em associação com o grupo de Língua brasileira de sinais (Libras) Sinalize, desenvolve um clipe musical pensado na cultura dos surdos. A produção será exibida no Teatro Gravatá, no próximo dia 7, às 20h. O projeto faz parte do “Férias Gravatá” e será exibido no espetáculo “Sarauzinho em Libras”.

Acessibilidade

O intérprete Ross Diniz, um dos coordenadores do projeto e membro do grupo Sinalize, conta a sua impressão.

— Quanto mais acessibilidade em Libras os surdos tiverem, mais eles estarão incluídos socialmente. A arte é uma das áreas em que isso menos acontece. Surdos sentem a batida da música, sim, mas não conseguem entender a letra, por isso a importância da música sinalizada — detalhou.

Grata surpresa

O produtor musical Ruan Mattos, responsável pelo estúdio de gravação Miolo Mole, diz que o trabalho tem sido uma grata surpresa.

— O trabalho do álbum “Xícaras”, da banda Esfera do Ser, tem sido uma grata surpresa. O Ailton está sempre aberto às minhas ideias e, com isso, a música acaba fluindo. Para mim, a música é onde as palavras não conseguem chegar. O que é fantástico, pois, assim, se eterniza as canções. E desenvolver uma música pensada nos surdos foi, a princípio, difícil de entender a proposta. Mas, depois de algumas pesquisas, percebi que é possível, e que já tem alguns grupos que fazem este trabalho direcionado — avaliou.

Aprendizado

De acordo com Ailton Costa, um dos integrantes da banda, este trabalho foi uma oportunidade incrível de aprendizado. 

— O som é uma onda, que vibra o ar, os ossos e membranas dos ouvidos, e essa vibração é decodificada pelo cérebro como som. O surdo recebe essas mesmas vibrações, mas, geralmente, existe algum problema nessa comunicação, que acaba não reconhecendo como som. O que não significa que eles não sentem a música, pelo contrário, têm mais facilidade de sentir a vibração corporal. Esse era um problema meu, assim como a maioria dos ouvintes, em achar que a música não é compatível aos surdos. A música é sentida na pele, pois eles percebem a melodia e harmonia por meio do corpo, principalmente nos pés e no abdômen. Outra forma de entender a música é através da interpretação em Libras. A língua gestual é fundamental para o entendimento das traduções, por isso, o clipe “Sussurros ao som do silêncio” teve o cuidado de enquadrar o intérprete — definiu.

Valorizar

Os idealizadores acreditam que a iniciativa busca a valorização da cultura dos surdos e promover, por meio da integração entre a música e a sociedade, o questionamento inteligente sobre os atuais padrões comportamentais vivenciados pelos indivíduos nas relações políticas, afetivas, sociais e também na relação do próprio individuo com a sua consciência. Além disso, é objetivo do projeto estimular a percepção da pluralidade cultural como direito de todos os grupos sociais, independentemente de renda ou acessibilidade.

Comentários
×