Recurso para construção de moradias no Alto São Vicente é quadriplicado

 

Da Redação

Após o risco de perder o recurso, mesmo com a obra já licitada, para o “PPI Favelas”, que posteriormente foi transferido para o programa “Minha Casa, Minha Vida PAC Habitação”, foi contingenciado pelo Ministério das Cidades, o deputado Domingos Sávio (PSDB) solicitou uma audiência no Ministério para garantir os recursos para a construção das moradias.

Além do deputado, a audiência contou com a presença do ministro Alexandre Baldy e com a secretária de habitação, Socorro Gadella. Serão construídos 26 apartamentos e o recurso para construção dos imóveis foi quadriplicado. O prefeito Galileu Machado (MDB) vai a Brasília na próxima semana para acompanhar o andamento do assunto.

De acordo com a Prefeitura, moradores do Alto São Vicente foram retirados dos seus imóveis até a entrega de novas casas e a situação é herança da Administração anterior.  As famílias foram desabrigadas depois de sofrerem com desastres climáticos.

— O atual Governo Municipal conseguiu redefinir a especificação da obra junto ao Ministério das Cidades, para que os recursos sejam liberados — afirmou em nota.

Ainda segundo com o Executivo, o prefeito Galileu Machado foi à Brasília para, junto com técnicos federais, garantir que os recursos anunciados não se perdessem.

Projeto

A mudança no projeto de construção das casas para o programa “Minha Casa, Minha Vida PAC Habitação”, permitiu que fossem liberados R$ 75 mil para a construção de cada apartamento, que pelo “PPI Favelas”, seria R$ 17 mil, valor, segundo a Prefeitura, insuficiente para a edificação.

Domingos Sávio informou em nota que, atualmente, a Prefeitura arca com mais de R$ 40 mil por mês com aluguel social para as famílias. As obras de infraestrutura e construção de moradias nos bairros Alto São Vicente, São João de Deus (Vila Olaria) e Nova Suíça serão realizadas pelo “Minha Casa, Minha Vida PAC Habitação”. 

 

Comentários
×