Professores protestam na porta da Semed

 

Da Redação

Os servidores da rede municipal de educação fizeram um protesto na tarde de ontem, 28, na porta da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Com faixas com dizeres “Prefeito é responsável pela administração municipal, assuma seu compromisso!”, os profissionais reivindicavam o pagamento dos salários referente aos meses de setembro e outubro, que estão atrasados. Nos respectivos meses, o Poder Executivo pagou somente R$ 1 mil aos servidores da educação, o restante continua em aberto.

Por causa do atraso, os servidores iniciaram uma greve no dia 9 de novembro e, nesta semana, irão ajuizar uma Ação de Dissídio para que a Justiça ajude nas negociações com a Prefeitura e para que eles tenham acesso às contas do Município, e assim averiguar qual a situação financeira real.

A paralisação já dura 20 dias, e até o início desta semana, os professores não tinham nenhum posicionamento do Poder Executivo, sobre o pagamento dos salários. A Prefeitura alega que o governo do Estado deve R$ 17 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), verba destinada para o pagamento dos salários dos servidores da educação. Ainda segundo o Executivo, o dinheiro é suficiente para saldar os salários atrasados.

Único

Diante do quadro, o prefeito Galileu Machado (MDB) determinou que o salário de novembro, dos professores fossem incluídos no caixa geral da Prefeitura. A informação foi confirmada pelo procurador-geral do Município, Wendel Santos. Conforme informou o procurador, Galileu ordenou que a Secretaria Municipal de Fazenda encontre meios para acolher os professores da folha geral do Município.

— O prefeito determinou que pague em dezembro, o salário de novembro dos professores, e que a [Secretaria Municipal] Fazenda encontre meios. Isso já foi feito por dois meses, este ano, os professores foram acolhidos na folha geral do Município —informa.

Informação

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal de Divinópolis (Sintemmd), a Prefeitura informou a medida, porém não ficou claro qual folha seria empenhada em dezembro, nem o valor que seria pago aos servidores da educação. Segundo o sindicato, o Executivo comunicou que pagaria R$ 500 possivelmente nesta sexta-feira, 30, porém não disse qual mês será referente o pagamento.

Retorno

A Prefeitura informou por meio de nota, que a Escola Municipal Dionísio Joaquim Rodrigues no bairro Cacoco, e os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) Miguel Rodrigues Filho no bairro Lagoa dos Mandarins e Maria José Fernandes no bairro Candelária retornaram às aulas, ontem.

De acordo com a secretária de educação Vera Prado, as escolas contabilizam cerca de 350 alunos, de volta às salas de aula.

— Os professores estão muito sensibilizados com a situação dos alunos, dos pais, da comunidade escolar em geral e nos informaram que retornariam às aulas para não prejudicar o ano letivo — destacou.

 

 

 

Comentários
×