Presos suspeitos de participar de assalto que matou policial militar e trabalhador

 

Gisele Souto

Dois homens foram presos ainda ontem de manhã, suspeitos de integrar a quadrilha de assaltantes composta por 15 pessoas que matou um policial militar, rapaz de 22 anos, que seguia do trabalho para casa e feriu gravemente outro PM. O ataque ocorreu por volta das 2h, em Pompéu, região Central.

Os suspeitos foram presos Moema, aproximadamente 80 quilômetros de Pompéu. Com eles, a polícia encontrou dois rádios comunicadores na frequência da polícia. Eles estavam em um Ford Focus e foram levados para Pompéu, onde prestaram depoimento.  No fim da tarde foram presos mais dois. A dupla que até o fechamento desta página, por volta das 18h, ainda não havia sido identificada, foi localizada pelos militares na rodovia MG-494, entre a BR-262 e a entrada para Divinópolis. No carro em que estavam, a polícia encontrou uma pistola 9mm. De acordo com informações da PM, ambos têm envolvimento com outros assaltos e homicídios. A reportagem tentou ouvir a Polícia Civil de Pompéu para saber se os suspeitos foram ouvidos e liberados ou presos, mas as dezenas de ligações não foram atendidas.

O jovem que a quadrilha matou é Alisson dos Reis Pinheiro, que saía da lanchonete onde trabalhava há apenas cerca de um mês.

O crime

O cabo da PM foi assassinado com um tiro na cabeça. Seu companheiro, também cabo PM, ficou ferido gravemente com um tiro nas costas e outro na virilha. O bando invadiu a cidade para explodir caixas eletrônicos do Banco do Brasil. Fortemente armados e em grande quantidade, abriram fogo contra os militares. Antes tinha atirado contra o quartel que ficou com dezenas de marcas de bala de fuzil.

O ataque 

A ousadia dos bandidos chama a atenção. Eles trancaram o portão com correntes e cadeados para que os policiais não saíssem para reforçar a guarnição que estava na rua. Eles também encheram as ruas próximas ao quartel de "miguelitos" (armadilha de pregos para furar os pneus das viaturas). Os "miguelitos também foram espalhados nas rodovias que dão acesso à cidade para impedir que chegasse reforço policial de outros municípios. Uma viatura da PM bateu após ter os pneus furados. Ambulâncias que levavam pacientes para Belo Horizonte, também ficaram pelo caminho.

Vítimas

O policial morto é o cabo Ozias Alves de Barros, de 33 anos, ele é natural de Martinho Campos. Já o cabo Lucas Reis Rosa, de 27, está internado no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, onde passou por uma cirurgia e segue em situação estável.

Carros roubados

Os bandidos usaram Toyota Hilux de cor prata, um Fiat Strada, este abandoando em uma praça de Pompéu, um Palio Adventure e uma moto. Dois deles teriam sido roubados em Belo Horizonte.

Ocorrência parecida

A Polícia Militar havia atuado em uma ocorrência semelhante, na madrugada de domingo, até o de ontem, era um dos piores ataques a bancos deste ano. A ocorrência foi registrada em Arcos, onde pelo menos dez pessoas foram feitas reféns durante a ação de uma quadrilha especializada em explosão de caixas eletrônicos.  Os suspeitos chegaram à cidade, pararam em uma lanchonete e sequestraram dez pessoas. Toda a ação foi flagrada pelas câmeras do Olho Vivo na área central. Os bandidos atiraram no equipamento. Foi necessário o reforço de militares de Formiga. Os bandidos explodiram a agência do Banco do Brasil e fugiram em seguida. A ação durou cerca 40 minutos. Ninguém se feriu e os reféns foram libertados.

 

Comentários
×