Polícia Civil desarticula quadrilhas rivais e prende 13

Paulo Vitor Souza

Megaoperação envolvendo 60 policiais, 20 viaturas e um helicóptero no enfrentamento aos crimes de homicídio, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro foi deflagrada na madrugada de ontem pela Polícia Civil (PC). A “Cerberus” que se estendeu durane todo dia em Divinópolis e outras cidades teve a investigação focada, principalmente, em suspeitos de assassinatos ocorridos na cidade desde o ano de 2018, mas especialmente em 2019, em um total de 11.

O delegado regional, Leonardo Pio, explicou que a operação não se limita apenas à ação de ontem, mas novos trabalhos serão feitos pela polícia para dar continuidade à queda dos números de homicídios e tentativas.

— A ação de hoje confirma o compromisso da Polícia Civil com toda a região Centro-Oeste. (...) Uma operação significativa, que contribui para a redução da média do número de crimes desta natureza — disse.

Redução

A     PC implementou medidas para a solução de casos de homicídio na cidade a partir do segundo semestre do ano passado. Uma equipe de reforço foi montada para acelerar os trabalhos de investigação. Com isso, conseguiu concluir, no segundo semestre, cerca de 20 investigações de homicídio e tentativa, indiciando 33 pessoas por tais crimes e decretando a prisão de 29, que estão presos e aguardam julgamento.

Sobre a “Cerberus”, o delegado de Homicídios, Renato Fonseca, informou que a ação auxilia na redução e solução de crimes violentos.

— A Polícia vê essas ações como um balanço muito positivo no auxílio à diminuição de índices de crimes violentos — disse o delegado.

No ano passado, os números de homicídio chegaram a 44, uma redução de 33% em relação a 2018, quando foram registrados 61, mesma quantidade de 2017.

— A operação angariou provas não só de tráfico de drogas, mas também em relação aos homicídios. Cópias destes procedimentos serão encaminhadas para nossa unidade para serem anexadas aos inquéritos em tramitação, e ali, havendo provas robustas, serão realizados novos decretos de prisão contra estas pessoas — finalizou.

O delegado chefe do 7º Departamento de Polícia Civil, Flávio Destro, explicou o caráter conjunto da “Cerberus”.

— Durante a execução da operação, nós contamos com o apoio de policiais de diversas cidades que compõem o 7º Departamento, inclusive o apoio de policiais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Tivemos o apoio do núcleo de operações aéreas da Polícia Civil, que veio nos prestar auxílio, fazendo com que essa força-tarefa resultasse na prisão de todos estes indivíduos que estão envolvidos na prática de ações violentas — ressaltou Destro.

Balanço

Durante a ação de ontem, 13 suspeitos de envolvimento em crimes de assassinatos registrados em Divinópolis foram presos. A polícia também apreendeu equipamentos eletrônicos, automóveis, drogas e cerca de R$ 12 mil em dinheiro.

A operação foi comandada pelo delegado de Carmo do Cajuru, Wesley Castro. Segundo ele, os homicídios geralmente ocorrem por causa de conflitos entre organizações criminosas e controle do tráfico de drogas.

De acordo com Wesley, presos em outras cidades, como Patrocínio no Alto Paranaíba e Região Metropolitana de BH, também têm ligações com organizações criminosas de Divinópolis.

— Estas pessoas que estão em outras cidades têm fortes ligações com grupos daqui e serão ouvidas em suas respectivas cidades — ressaltou.

Durante a operação, ocorreram prisões em Formiga, Patrocínio, Contagem e Divinópolis. Para os próximos dias, a operação vai investigar práticas de lavagem de dinheiro. Todos os 13 presos foram autuados e encaminhados para o presídio Floramar.

Outro assassinato

Um jovem de 21 anos foi executado na noite desta segunda-feira, no bairro Tietê. Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o rapaz foi atingido por tiros de arma de fogo e morreu antes mesmo de ser socorrido. A PC ainda apura a motivação do crime, mas não descarta a possibilidade de que presos na operação “Cerberus” tenham relação com o assassinato.

Comentários
×