O preço do preço

Ainda estamos bem longe do que acontece na Venezuela com sua inflação de mais de 1.000%, onde falta absolutamente tudo e somente uma meia dúzia de ladrões consegue explicar por que Maduro obteve mais votos que Falcon, seu adversário que se tornou “puro sangue” de última hora. Fosse ele oposição mesmo, estaria atrás das grades como os grande nomes da política venezuelana.

Ganhou, mas não levou

Por enquanto, com total descrença, desencanto e sem reconhecimento, Maduro ficará no poder, até matar todo mundo ou ser deposto, o que, aliás, é o mais provável. Já na Argentina, onde marido e mulher (no caso Néstor e Cristina Kirchner), como no Brasil de Lula e Dilma, quase arrasaram com o país, o caso é um pouco diferente e ainda há solução, embora a inflação já passe de dois dígitos faz algum tempo.

Isto significa ganhar e não levar, pois o atual presidente argentino Mauricio Macri, a duras penas, vai levando o seu barco e o presidente (?) venezuelano continua num país devastado por ele e seu antecessor Chávez. E pensar que isto estava perto de acontecer neste país lindo, amado e de muita vida chamado Brasil.

Tem jeito

Ontem, depois da greve dos caminhoneiros e das diversas “paradas” pelas estradas da vida, o presidente Temer, um golpista de primeira e que salvou o país, estava com os seus ministros, tentando sair para a tangente, querendo angariar simpatia repetindo os mesmo erros de Dilma, quando baixou na marra o preço dos derivados do petróleo e quebrou a Petrobras. Como ele conseguirá fazer ninguém sabe, mas, se estes preços continuarem subindo somente para que os rombos que o PT fez naquela empresa sejam cobertos, ele se dará muito mal.

Se já não estava bom...

...agora as coisas vão piorar. Sem empregos à vista, sem aumentos salariais e sem meios de ganhar mais “algum” com horas extras, o governo fala em aumentar a eletricidade em mais de 20%. Veja a matéria do Portal Agora (agora.com.vc): “A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 22, a Revisão Tarifária Periódica da Cemig, que entrará em vigor a partir do próximo dia 28. A Concessionária atende 8,3 milhões de unidades consumidoras em 744 municípios de Minas Gerais”. Mais à frente está o número fatal: Efeito médio para o consumidor – 23,19%. Pimentel que aguarde a paulada!

De cara e jeito novos

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) não se cansa de levar pauladas em todas as entrevistas a que comparece. Como normalmente vai à maioria delas, ele tem mostrado que ultimamente alguém o tem aconselhado quanto às respostas. Só que alguns jornalistas, por pura sacanagem, pois bem pagos pela turma da esquerda, tenta desestabilizá-lo com um tema mais que vencido. Falar sobre homofobia, racismo e coisas como tal já não incomoda mais o candidato, que, ao final da pergunta, invariavelmente responde: “você ou vocês podem me chamar de tudo, menos que eu seja corrupto”. E passa a responder com toda a tranquilidade, mostrando preparo físico e psicológico, o que lhe faltou no início.

Com os ataques...

...do antipático Ciro Gomes (PDT), que o chama até de nazista, Bolsonaro vai capilarizando votos e simpatia de quem o achava bruto ou brusco, sem competência ou sem paciência. A pregação armamentista é, sem qualquer dúvida, a sua grande arma nesta campanha eleitoral. Já está sendo imitado, com candidatos já enfrentando o mesmo discurso, mas, quando ele fala que a propriedade, qualquer quer seja, se for invadida, tem de ter bala e espingarda para evitar, os aplausos não esperam nem um segundo. Com isso, o tempo vai passando e as pesquisas mostram que ninguém o enfrentará no segundo turno, simplesmente porque, talvez, este nem aconteça.

Comentários
×