O maior líder...

...de todos os tempos será preso! Isto é o que diziam ontem os petistas de carteirinha, alguns deles com medo da prisão, outros por perderem mandatos e ainda outros por ficarem sem empregos. Com certeza, por não lerem a história deste país, como nunca o fez Lula, este nunca foi o maior líder político desta nação, muito menos o mais querido. Confundem aprovação popular pelas benesses, que realmente o ex-presidente fez no país inteiro, seguindo o que havia sido começado por FHC, com a adoração popular que este sofrido povo brasileiro teve primeiramente por Getúlio Vargas e depois por Juscelino Kubitschek.

Uma comparação idiota

Getúlio Vargas fez um governo de altos e baixos quando ditador e quando presidente eleito. Os dois governos totalmente direcionados à classe mais pobre, tal como Lula o fez. Só que deixou como este último, muita coisa má acontecer. Ao ser deposto, foi exemplar. Não convocou a nação para nada, reconhecendo seus erros. Ao voltar pelo voto direto, não conseguiu o mesmo sucesso anterior e foi traído pelos melhores amigos, mas continuou a ser adorado pelo povão. Quando notou o erro dos amigos, em vez de se dizer perseguido pela imprensa, e o era mesmo, resolveu “sair da vida para entrar na história” com um tiro no coração.

Seu sucessor legal...

...o mineiro Juscelino Kubitschek, médico, de família humilde, assumiu o poder ganhando a luta política com humildade, inteligência e muita simpatia. Prometeu que faria um governo de 50 anos em 5 (o mandato à época era de cinco anos), e cumpriu. Passou a maior parte do seu tempo entre o Rio, a construção de Brasília e as principais rodovias do país, que ligaram o Rio a Brasília, a Belo Horizonte e a São Paulo. As obras suntuosas da nova capital foram levantadas em menos de quatro anos e muito dinheiro “foi jogado para cima”, o que deixou o povo desconfiado. Sem perder a ternura, aos poucos Juscelino foi reconquistando o país, voltando a ser o grande líder popular da época, e somente não voltou à presidência porque a intervenção militar da época cassou a sua condição de disputar.

O homem de hoje...

...é uma “figura desfigurada”, muito longe dos seus melhores dias quando entregava casas e dinheiro através das diversas bolsas que criou. Tornou-se um líder popular, mas sem qualquer charme. Sem nunca ter frequentados bons bancos escolares e declarado que nunca leu um livro sequer, com o passar do tempo, mesmo elegendo Dilma, perdeu força e prestígio, principalmente depois das diversas acusações a partir da Lava Jato em 2014, onde sempre foi acusado como o chefe de todos os chefes, o que autorizava tudo e, ao contrário do que afirmava, sabia de tudo.

Quem vê o Lula...

...de hoje não o reconhece. Depois de tentar várias caravanas pelo país afora e ser praticamente expulso de boa parte das cidades em que ia, as fotos do ex-presidente mostravam como ele está atualmente: velho, triste, desgastado e com uma pena de prisão a cumprir. Ele sabe da sua desgraça, enquanto os senadores Gleisi Hoffmann e Lindberg Farias tentam mostrar o contrário. Eles confiavam em uma vitória para que o poder não lhes escapasse das mãos. Perderam. Só não se sabe se eles realmente sabem disso.

Comentários
×