O chororô dos brasileiros

Começou a Copa da Rússia para o Brasil, como terminou a de 2014. Mais uma vez, o time canarinho decepcionou seus milhões de torcedores, espalhados pelo mundo afora. E faço esta afirmação não olhando apenas pelo resultado, empate em 1 a 1 com a fraca Suíça, mas principalmente pela péssima qualidade do futebol apresentado pelo time do Tite. 

Quem foi o pior 

Num jogo de Seleção Brasileira fazer um balanço olhando para quem foi menos ruim, já é para esquentar a cabeça de qualquer um. Porque esta foi a verdade. No jogo de domingo, não foi o melhor que levou o prêmio, mas apenas os que se salvaram de toda a mediocridade. Porque jogar bola que é bom, ninguém jogou nada. 

Abacaxi para o Tite

Mas se é para escolher o pior entre os piores, o prêmio deve ir para o técnico Tite, o comandante que enxerga virtudes onde elas não existem. Só ele mesmo para ver algum futebol neste tal de Danilo, que apenas ocupa espaço na lateral direita. Mas não só o ex-americano, não, tem muito mais gente precisando se explicar.

E é para ontem. Ou fazem isto, agora, ou o Brasil dará novo vexame, desta feita na Rússia.

Por ora, não é preciso temer, não 

Olhando os adversários que ainda restam ao Brasil em seu grupo – Costa Rica e Sérvia –, a eliminação já na primeira fase é uma coisa que dificilmente acontecerá. Mesmo com toda ruindade, a seleção canarinho ainda tem qualidades para seguir adiante.

Por ora, não é preciso temer o pior, não. Depois, já são outros quinhentos. Ou Tite encontra o caminho, ou o time volta para casa antes do previsto.

Tecnologia não acabará com os erros

Ficou provado que, quando a decisão é interpretativa, nem mesmo o uso da tecnologia vai dar um fim à polêmica, acabando de vez com os erros de arbitragem em jogos de futebol. E o duelo entre Brasil e Suíça, pela Copa da Rússia, está aí para comprovar esta verdade.

Enquanto a última palavra for de um juiz (ser humano como qualquer outro, suscetível a erros), mesmo que este veja as imagens pela TV, os erros continuarão a fazer parte do folclore do futebol mundial. E é até bom que assim seja, para esquentar as discussões pós-jogos. 

Muitos erros

Além dos dois erros reclamados pelos brasileiros no confronto de domingo frente os suíços, outras decisões dos VAR (árbitros de vídeo) colocam em dúvida a utilização desta ferramenta para acabar com os “vacilos” da arbitragem.

Quando a decisão é subjetiva e depende de uma análise humana, não há como garantir o sucesso de nada, muito menos dos tão falados árbitros de vídeos. E até aqui, eles provaram que nada mudou. As dúvidas e os erros persistem.

Apenas o chip

A rigor, das alterações implantadas pela Fifa no Mundial da Rússia, apenas o chip para anunciar quando a bola ultrapassa ou não a linha de gol é algo confiável, que veio para ficar.

Também pudera. É um chip e independe da vontade humana.  

Um soco na cara dos dirigentes do Coelho 

O descanso no Campeonato Brasileiro não está sendo nada fácil para a torcida e os dirigentes do América. A rasteira que tomaram do técnico Enderson Moreira, que pediu demissão do cargo e se mandou para a boa terra, onde vai comandar o Bahia, é algo que ninguém esperava.  E pior que perder seu treinador é não ter um nome à altura para ocupar seu lugar.

Ou melhor, ter até tem alguns nomes: Abel Braga e Zé Ricardo estão no mercado. Agora resta saber se eles estão dentro das pretensões do clube e se aceitam trabalhar em Minas Gerais? 

Para ontem 

Mas é bom os dirigentes americanos se apressarem. A decisão tem de ser tomada é para ontem, para que o novo treinador já tenha o “grupo em mãos” no jogo da volta do Brasileirão, dia 19 de julho, contra o Cruzeiro.

Comentários
×